24° DIA: HORA DE CELEBRAR!

Crise dos 30 - Comemorar

Essa semana eu li uma frase que dizia mais ou menos assim: “Não há nada pior do que o tormento causado por uma tarefa que nunca é finalizada”. Ah, e essa é a mais pura verdade… Tenho constatado isso em vários momentos do meu dia-a-dia.

Até falei sobre isso nesse post aqui, sobre como o fato de eu não conseguir honrar alguns compromissos importantes que fiz comigo mesma tem afetado negativamente minha auto-estima, minha positividade e minha energia para dar passos importantes rumo ao novo estilo de vida de decidi que eu quero ter.

Ok, nada disso é mentira! Mas verdade seja dita: a gente tem muito mais facilidade em apontar nossas próprias falhas, fraquezas e defeitos do que em reconhecer quando damos um passo, seja ele grande ou pequeno, em direção ao nosso objetivo, não é mesmo? Eu sei que eu não sou a única e imagino que você também faça a mesma coisa: autocrítica é algo que nem sempre funciona a nosso favor…

Se por um lado é importante, ou melhor, indispensável fazermos essa análise e identificarmos em quais áreas estamos empurrando com a barriga as tarefas que sabemos que precisamos fazer (bem, pelo menos é indispensável pra quem quer começar a viver uma vida com mais sentido e mais de acordo com os próprios valores…), por outro lado, é muito importante conseguir reconhecer – e celebrar – quando fazemos avanços.

E é isso que eu decidi fazer hoje: CELEBRAR!!!

Pra um domingo que começou cheio de preguiça (depois de uma noite de sábado com amigos em casa e de encararmos temperaturas negativas essa madrugada), o dia está acabando muito bem e com muitas conquistas!

Hoje eu finalizei dois projetos muito importantes pra minha vida, que eu tinha começado, mas ainda não tinha terminado:

O primeiro foi a minha certificação em Fundamentos de Coaching através de uma instituição note americana, que comecei a fazer em maio. Por ser um curso online, eu poderia fazer no meu próprio ritmo e tinha até novembro para terminar, mas me dei um prazo mais curto e, hoje, posso dizer com satisfação que eu consegui cumprir o meu prazo e estou na próxima semana me encaminhando pra segunda fase da minha certificação: um curso presencial e profissional numa das instituições mais reconhecidas aqui de Auckland! O curso online foi o meu primeiro (e tímido) passo em busca de uma carreira mais abrangente, e tê-lo terminado me fez sentir muito mais preparada e capaz de dar os passos largos que precisarei dar daqui pra frente. Semana que vem uma nova fase estará oficialmente começando, e eu não poderia estar mais feliz e orgulhosa de mim mesma (afinal, não tem nada de errado em ter orgulho pelos avanços que fazemos, devemos mesmo é nos orgulhar, minha gente!).

O segundo projeto é, na verdade, o primeiro, pois foi onde tudo (re)começou: terminei o último módulo do Programa Escolha Sua Vida, um programa de coaching que comecei em novembro do ano passado e que posso dizer, sem medo de errar, que foi o passo mais importante que dei para me guiar nessa busca por algo que, naquela época, eu nem sabia exatamente o que era. Durante esse programa eu descobri que eu sempre fui coach, eu apenas não sabia, e ter me reencontrado comigo mesma e redescoberto minha essência foi, sem dúvida, o meu melhor presente!

Que alegria inexplicável é conseguir vencer uma etapa que em muitos momentos parecia que eu não seria capaz. Quando não honro meu compromisso comigo me sinto mal, mas quando vou até o fim e provo pra mim mesma que eu sou capaz de fazer algo, ah, me sinto bem numa proporção infinitamente maior!

Como se não bastasse, a cerejinha do bolo é que, hoje, consegui junto com o último módulo do PESV colocar em palavras meu recém-estabelecido propósito, que já tem guiado as minhas decisões mais recentes e que vai continuar me guiando por essa estrada que eu decidi trilhar:

“Meu propósito de vida é me tornar a melhor versão de mim mesma, mantendo minha vontade de aprender constantemente, de viver plenamente e meu dom de sonhar – sempre e mais – para que eu possa através da minha própria história inspirar e empoderar o maior número de pessoas possível a buscar, através de escolhas conscientes, a vida que merecem viver”.

Como diz minha tatuagem: One Life, One Chance…

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.