30° DIA: 8 DICAS IMPRESCINDÍVEIS PRA QUEM QUER MUDAR DE VIDA

Mudar de vida - Crise dos 30

Se você me acompanha aqui no Crise dos 30 sabe que eu não sou muito fã dessas listas com “os 5 passos”, “os 10 segredos” ou “as 25 coisas que você precisa saber pra ser feliz pra sempre, amém” (já falei sobre isso aqui). Embora algumas delas discutam temáticas absolutamente interessantes, a maioria só serve mesmo pra atrair mais tráfego pros blogs e websites espalhados por aí, e acabam apenas propagando um blábláblá sem fim que, na minha opinião, já tá cansando…

No entanto, hoje eu assisti pelo que deve ter sido a décima oitava vez o episódio do Continue Curioso com a Cíntia Dumiense, e me surpreendi mais uma vez com a quantidade de reflexões importantes sobre mudança de carreira e estilo de vida que eles conseguiram trazer à tona em um vídeo tão curto, com menos de 7 minutos. É uma pena mesmo que esse trabalho tenha acabado, porque o que a Juliana e a Cristiane faziam no Continue Curioso era algo de qualidade e importância inquestionáveis. São tantas coisas que eu queria comentar que achei que a melhor forma de fazer isso sem me perder num texto longo seria na forma de lista (mas prometo dar o meu melhor pra fazer isso com dignidade, ok? emoticom).

Pra começar, assistir esse vídeo hoje e meses atrás foram experiências completamente diferentes. Embora eu já me identificasse com o episódio como um todo, meu olhar mudou bastante agora que estou vivendo todo esse processo de mudança. Pra mim, ficou muito mais clara a precisão com a qual a Cíntia retrata as várias fases pelas quais ela passou antes de conseguir viabilizar o estilo de vida e a mudança de carreira que ela queria, retratando com maestria as dificuldades e tormentos pelos quais passa uma pessoa que decide fazer uma mudança de rumo em determinada fase da vida – e do ponto de vista de alguém que sentiu na pele cada uma dessas fases.

O vídeo é realmente incrível, e por isso achei imprescindível compartilhar alguns dos assuntos abordados nele sob o meu ponto de vista aqui com vocês. Vamos lá!

DICA #1: Preste atenção nos sinais do seu corpo e da sua mente (e das outras pessoas!)

“Quando te vi entrar pela porta, eu tive certeza! A agência não faz bem pra Cíntia, ela vai pedir demissão.”

Essa foi a frase que a Cíntia ouviu da chefe dela na agência de publicidade que ela trabalhava ao voltar das férias nos Lençóis Maranhenses, antes de abrir sua loja de presentes gastronômicos. Ela havia se tornado uma pessoa diferente enquanto estava no trabalho: alguém sem brilho, sem motivação.

Comigo aconteceu a mesma coisa, e demorou muito tempo pra essa ficha cair. Eu me dei conta um dia no escritório que os funcionários, que antes sempre tinham sido meus amigos, passaram a ter um certo medo de mim e evitavam ao máximo falar comigo, até que percebi que eu era a pessoa que fazia a risada e a conversa acabar quando entrava na sala.

Eu nunca fui essa pessoa, e eu não queria ser essa pessoa!

Foi difícil, mas foi importante encarar a realidade de que aquela não era quem eu estava me tornando, mas sim, quem eu já tinha me tornado. Perceber isso me deu a certeza de que eu estava trilhando um caminho que não me fazia bem e que eu estava lentamente me transformando em alguém que eu não mais reconhecia.

Eu, assim como a Cíntia, tinha passado a ser uma mau-humorada de plantão, e percebi nitidamente que tinha me tornado uma nuvem negra não apenas do escritório, mas da MINHA PRÓPRIA CASA, e isso foi a gota d’água e uma das molas propulsoras pra minha decisão.

Então a dica #1 é: Preste atenção nos sinais do seu corpo e da sua mente (stress, mau-humor, fadiga constante, irritação), mas também nas pequenas dicas presentes no comportamento ou mesmo nas opiniões das pessoas que te cercam. Se o “O que está acontecendo com você?” ou o “Você mudou tanto” (num tom não muito positivo) não for uma opinião isolada a seu respeito, talvez valha a pena começar a reparar se seu descontentamento ou infelicidade com seu emprego (como foi o meu caso) ou com qualquer outro aspecto da sua vida (relacionamento, amizades, estilo de vida) não estão te transformando em uma pessoa que você não tem orgulho de ser.

Mudar de vida - Crise dos 30

DICA #2: Comece a se reconectar com as coisas que você gosta

“O que eu fazia quando eu era criança que ninguém me julgava?”

Relembrar a infância e o que gostávamos de fazer sem nenhuma obrigação ou motivo aparente, simplesmente por prazer, é uma das técnicas mais poderosas utilizadas por coaches quando estão ajudando as pessoas a redescobrirem suas paixões. Parece besta, né? Mas te garanto que esse exercício não é assim tão fácil como parece (bem, ao menos não pra todo mundo). Eu demorei bastante tempo pra conseguir lembrar do que eu genuinamente gostava de fazer, mas quando consegui me reconectar com isso, foi como se uma grande porteira de emoções e sentimentos tivesse se aberto dentro de mim.

Por motivos que eu ainda não entendo exatamente, eu por muito tempo me afastei do que eu considero ser a minha essência: meus gostos e características mais puras que sempre tiveram presentes na minha vida. Quando eu consegui me reconectar com isso, trouxe pro meu dia-a-dia alguns elementos (como por exemplo, voltar a escrever) que fazem minha rotina mais leve, mais interessante e com muito mais pitadas de felicidade nas coisas mais simples, mesmo que alguns dias eu nem chegue a sair de casa.

DETALHE IMPORTANTE: Você não precisa descobrir qual é a sua paixão para poder transformá-la em trabalho e somente assim você será feliz. Liberte-se disso!

Você pode continuar trabalhando no mesmo lugar que trabalha hoje, mas se conseguir trazer alguns elementos da sua essência pro seu dia-a-dia, é certo que você vai ser uma pessoa muito mais alinhada consigo mesma e, por consequência, muito mais leve e mais feliz!

Quando eu não tinha decidido ainda sair do meu emprego (naquela época eu tinha essa ideia fixa de que “não podia”) uma das coisas que fiz foi me matricular num curso de francês, e foi incrível o que essa atitude fez por mim! Eu me reconectei com a minha vontade constante de aprender coisas novas, pelo meu fascínio por idiomas e novas culturas e, de quebra, isso me deu algo pra fazer que me obrigava a levantar do sofá nas noites mais difíceis, onde eu só queria chorar e dormir. Uma atitude que fez toda a diferença naquela fase da minha vida!

Mudar de vida - Crise dos 30

DICA #3: Saiba que, uma vez que você opte pela mudança, você vai passar por um período de dúvidas e muitas incertezas

“Passei um grande período conflituoso de dona de casa, que recebia o marido em casa, tipo ‘Meu Deus do céu, o que eu estou fazendo da minha vida? Meu marido tá voltando do trabalho e eu to aqui, cozinhando!’”

Não preciso nem dizer que me identifico com cada linha, né?

A gente tende a achar que uma vez que conseguirmos nos livrar do que acreditamos ser o grande vilão (na maioria dos casos, nosso trabalho) nossa vida vai se transformar e todos os problemas vão sumir como num passe de mágica, mas não é bem assim que acontece. No meu caso, cheguei a conclusão de que enquanto eu não tomasse a decisão de sair do meu emprego, não conseguiria sair daquela roda-viva, o que era necessário pra que eu pudesse me dedicar a cuidar do meu bem estar mental e emocional.

Tomar a decisão de sair do meu emprego parecia então o momento mais difícil de todos. Mas não era.

O que vivo hoje é ainda uma fase cheia de dúvidas e incertezas, que me coloca constantemente em um conflito de valores muito grande. Pra uma mulher de 30 que trabalha desde os 15 anos, não é nada fácil ver todas as contas da casa sendo pagas pelo namorido. Até minha depilação eu pago com o cartão de débito dele – é ou não é o cúmulo do absurdo? Crise dos 30

Até seria, e em alguns momento ainda é, mas no geral, é o fato de eu ter um foco muito claro e um objetivo muito bem definido do porquê estou fazendo o que estou fazendo, que me faz engolir o orgulho e ter a confiança de que essa é uma situação temporária.

O ponto é: as minhas dúvidas hoje não são nem um pouquinho menores do que quando estava na fase de decidir sair ou não do meu emprego. Pelo contrário, elas continuam aumentando! A cada passo que eu dou, mais difícil fica, mas é necessário ter a clareza de que TODO MUNDO PASSA PELA MESMA COISA. Se você não está totalmente presente pra isso, corre o risco de desistir antes da hora.

Mudar de vida - Crise dos 30

DICA #4: Entenda que sempre vão ter aqueles que vão te criticar

“E aí você que era até certo ponto a mulher independente, de repente vira a madame, porque aí o teu marido começa a te bancar. E aí querendo ou não tem gente que começa a fazer as piadinhas com isso”

SEMPRE vai ter quem vai te criticar. SEMPRE! Sabendo ou não os detalhes do que você está fazendo, de quais são seus planos, de quais suas reais condições financeiras, familiares ou emocionais.

É difícil pra caramba não se deixar afetar demais pelas opiniões alheias, eu sei, mas é importante, e a única forma de conseguir isso é trabalhando cada vez mais no seu FOCO. Mantenha o foco no que importa, nos seus planos, nos seus sonhos e, mais do que nunca…

Mudar de vida - Crise dos 30

DICA #5: Apoie-se em quem te apoia

A Cíntia falou tudo quando disse que é muito importante ter alguém – qualquer pessoa – que esteja do seu lado nesse momento de transição. Isso não quer dizer que seja impossível viabilizar uma mudança de vida se você não tem absolutamente ninguém com quem contar, mas é certamente mais difícil. No meu caso, tenho o Henrique não apenas como suporte financeiro, mas também emocional.

É importante ter alguém com quem conversar, trocar ideias, desabafar, e uma ótima ferramenta pra isso, por incrível que pareça, é o Facebook. Existem grupos e comunidades pra todo tipo de interesse, e muitos deles são um ambiente de bastante troca, onde pessoas que estão vivendo situações parecidas se ajudam, dão dicas, opiniões, tiram dúvidas. Faça melhor uso das suas redes sociais e você vai ver que pode encontrar ali mais apoio do que jamais imaginaria!

Mudar de vida - Crise dos 30

DICA #6: Se permita o tempo necessário para se descobrir nessa nova fase

“Acho que esse processo de imersão, de entender aonde você quer chegar, o que você quer fazer, não pode ser um processo cheio de atividades, porque senão você perde e vai seguir a crista natural.”

Quando alguém se propõe a fazer uma mudança dessas, principalmente de carreira, é comum que queira ver resultados imediatos. Num mundo onde a tecnologia facilita tanto nossa vida, é fato que estamos perdendo a paciência, não queremos mais esperar – pra nada. Acontece que imediatismos não vão funcionar agora…

Entenda isso e se permita um tempo para, antes de se colocar desesperadamente em ação, se entender e se conhecer melhor. Se você não usar o seu tempo agora pra fazer isso, pode lá na frente acabar se descobrindo na tão sonhada nova vida, ainda sem entender porque não está feliz.

Não saia de uma prisão pra entrar de cabeça em outra! Entenda os seus valores, descubra a sua verdade e crie a sua liberdade. O pior erro que você pode cometer nesse momento é, sem perceber, seguir o modelo de liberdade alheio, achando que está fazendo a coisa mais corajosa do mundo.

Agora é hora de olhar pra dentro!

audience-547372_1280

DICA #7: Não fique preso na cilada do “Já tem muita gente fazendo”

“O mercado sempre tem espaços para bons profissionais, e se você se dedica, ele vai ter espaço.”

Já parou pra pensar que todo e qualquer mercado está saturado? Publicidade = saturado. Psicologia = saturado. Marketing = saturado. Gastronomia = saturado.

Mas a verdade é uma só: se você for EXCELENTE (não basta ser bom, tem que ser excelente!) o mercado sempre vai ter espaço pra você. Entrar numa nova carreira apenas visando o dinheiro é fazer a segunda burrada da sua vida (considerando que a primeira foi quando você escolheu a sua primeira profissão, também pensando em dinheiro). E se você estiver buscando “dinheiro fácil”, pior ainda! Principalmente porque dinheiro fácil não existe…

Quer mudar e quer ter chance num mercado saturado? Esteja disposto a estudar MUITO e a se tornar o melhor que você pode ser.

Eu me formei em Turismo numa época em que parecia que o mundo inteiro estava fazendo o mesmo. Conheci muita gente que estava apenas buscando uma faculdade fácil, que não precisasse estudar muito e que tivesse com um mercado de trabalho super em expansão. Nesse momento o Brasil está em crise, e o mercado do Turismo é um dos mais afetados, no entanto, os melhores profissionais estão MUITO bem empregados e ganhando um belo salário, da mesma forma que os médios estão empregados e ganhando um salário médio. E muitos outros nunca conseguiram uma oportunidade na área (ou nunca tentaram).

Eu estou, novamente, trilhando os caminhos do que parece ser a nova profissão da moda: Coaching. E, novamente, tem muita gente querendo o que é fácil, que não precisa estudar e que dá dinheiro fácil. Não é à toa que tem um monte de coach ruim por aí!

Parece ter muita concorrência nessa nova área que você quer entrar? O mercado seleciona. Entre em campo pra dar o seu melhor e confie nisso!

Mudar de vida - Crise dos 30

DICA # 8: A ÚLTIMA, E A MAIS IMPORTANTE!

TENTA! A VIDA É UMA SÓ!

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.