54° DIA: AS RESPOSTAS QUE A VIDA NOS DÁ

Reflexões - Crise dos 30

“Acho que quando a gente segue nosso coração, não tem como não dar certo. Pra mim tu tem sido uma prova disso, pelo menos uma pessoa você já inspirou a sair da zona de conforto sendo tu mesma” – Heleni, 11/08/2015

Foi essa mensagem que recebi hoje, logo pela manhã, quando chequei minhas atualizações no Facebook, e posso dizer que veio na hora certa!

Quando eu resolvi que era hora de fazer uma pausa na minha carreira, colocar praticamente tudo o que eu conhecia como sendo “minha vida” em modo stand by, e me permitir um tempo pra me reconectar comigo mesma, com meus valores e com o que faz meus olhos brilharem, eu não fazia ideia do que viria pela frente. Quando cheguei em casa depois do meu último dia de trabalho, senti como se eu estivesse, à pé, numa daquelas rodovias largas e sem nenhuma iluminação; ali, eu tinha que de alguma forma decidir quais seriam meus próximos passos, sem nem saber exatamente pra onde eu queria ir.

Já se passaram 3 meses desde aquele dia e, hoje, ainda sinto que estou na mesma rodovia, mas pelo menos agora tenho em mãos uma lanterninha e algumas pilhas…

Todos os dias eu acordo sem fazer a menor ideia de como vai ser. Ainda brigo contra minha falta de energia, ainda acordo às 8:30 da manhã querendo ter acordado às 7:30, ainda me cobro por não ter ido fazer a aula experimental de Zumba, além de ficar o tempo todo tentando entender como é que era possível eu produzir TANTO no escritório e, agora, parece que as horas voam e eu nunca consigo dar conta de tudo o que eu tinha planejado pra aquele dia.

A maior parte do tempo me sinto animada e confiante, mas em alguns momentos (tenho mais desses momentos do que eu gostaria) que me sinto uma babaca e me pego desacreditando nos meus sonhos, nas minhas ideias e em tudo o que estou me propondo a fazer. Tem dias que sinto que estou no caminho certo, mas tem dias que acho que estou apenas iludida e desconfio da minha capacidade de fazer acontecer. Nos piores dias começo até mesmo a duvidar se eu deveria estar me abrindo tanto, dando vazão aos meus sentimentos como eles são, sem pudores e sem tentar camuflar quem eu sou e como eu sinto.

Todo mundo fala que devemos ser autênticos, nos expressar do nosso jeito – que é único – e não se preocupar com a opinião dos outros. Fazer o que você sente que deve fazer, do jeito que você sente que pode e deve fazer. Essa é a razão de ser do Crise dos 30 e do Relatos de Uma Inquieta. Seria lindo se eu viesse aqui dizer que faço sem me importar com o que os outros vão pensar e falar mas, se eu dissesse isso, eu estaria mentindo. Várias vezes eu acabo me questionando se não deveria, talvez, “dar uma segurada”. Não falar determinadas coisas, não me abrir sobre determinados assuntos, não contar determinadas histórias, ou seja, deixar de ser o meu todo para ser apenas uma parte: a parte que tem probabilidade de agradar mais (ou de agredir menos).

Aí, justamente no dia em que eu estava vivendo o pico desse questionamento, recebo essa mensagem. Ser quem eu sou, escrever o que eu escrevo, da forma que eu escrevo e com a autenticidade que eu escrevo, inspirou alguém a acreditar nos próprios sonhos e também a ousar sonhar mais alto. Isso não tem preço! Dez anos criando roteiros e cuidando de cada aspecto da viagem dos sonhos de centenas de pessoas não me deram um décimo da sensação de relevância e significado que tive quando recebi essa mensagem. Me fez relembrar que ela não foi a única.

Obrigada, Heleni! Quem sabe um dia a gente se conheça pessoalmente Crise dos 30 - Blink

Bora acreditar na minha intuição e no meu coração que, quando eu paro pra ouvir, sempre me dizem: “Você está no caminho certo!”

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.