95° DIA: 5 VERDADES QUE NINGUÉM TE CONTOU SOBRE LARGAR TUDO PARA FAZER O QUE AMA

largar tudo pra fazer o que ama

Quando a gente vê a história de alguém que resolveu apostar no largar tudo para fazer o que ama, o primeiro e quase inevitável sentimento que aparece é o da inveja. Sim, aquela invejinha branda no maior estilo “Putz, que sortudo! Eu também queria fazer o mesmo, mas não posso por causa de _____________ (complete aqui com sua desculpa preferida)”.

Pra quem tá sonhando com o dia em que vai finalmente olhar pra cara daquele chefe babaca e dizer: “Adeus! See you… NEVER AGAIN!”, a impressão que dá é que a etapa mais difícil é vencer todos os medos de estar fazendo a maior burrada da vida, de trocar o certo pelo duvidoso (embora no fundo a gente saiba muito bem que certezas são ilusões), de ficar sem dinheiro, de não conseguir se dar bem em uma nova carreira, enfim, de dar tudo errado e você acabar decretando falência e voltando com o rabinho entre as pernas pro sofá da casa dos seus pais. Realmente, essa é uma etapa angustiante, onde muita gente empaca e nunca sai do lugar, mas existe uma minoria que resolve apostar alto e, como num jogo de pôquer, vai logo no “all in” – é tudo ou nada. Essas pessoas, tempos depois de terem dado essa cartada, podem te dizer com uma certa convicção uma coisa que você, de verdade, jamais esperaria ouvir (bem, pelo menos eu não esperava):

AQUELE SEU EMPREGO DE MERDA ESTAVA LONGE DE SER O MAIOR DOS SEUS PROBLEMAS…

Acredite ou não, essa é a mais pura verdade.

Não importa o quão infeliz você esteja no seu trabalho agora, nem o quão de saco cheio você esteja de fazer as mesmas coisas todos os dias. Você acha que quando finalmente pedir demissão, o mundo vai amanhecer mais lindo? Você acha que quando puder finalmente realizar o sonho de trabalhar de casa, todos os seus problemas vão se acabar?

Então se prepare pra ouvir algumas verdades… Verdades essas que não têm NENHUMA INTENÇÃO de te fazer desistir de dar esse passo importante (e para muitas pessoas, essencial), mas apenas aliviar um pouquinho seu stress e ansiedade em não ter a menor ideia do que te espera do lado de lá.

Preparado? Lá vai:

Facebook

1) Sua produtividade provavelmente vai cair

Você tem convicção que se pudesse trabalhar de casa (ou de qualquer outro lugar), no seu próprio ritmo e em seus próprios horários, seria muito mais produtivo? Prepare-se para tomar um susto. Se você nunca trabalhou fora das quatro paredes de um escritório, cumprindo um horário específico e com um chefe no cangote te dizendo exatamente o quê e quando fazer, chances são de que você vai precisar de um período de adaptação, e essa fase pode ser um pouco frustrante. Se você está trabalhando de casa, sempre aparece alguma coisa pra fazer, seja parar tudo no meio do dia pra preparar o almoço, ir ao supermercado ou levar o cachorro pra passear. Além disso, a não ser que você seja extremamente disciplinado, as tentações são muitas. Netflix ao alcance das suas mãos e ninguém pra controlar se você está realmente trabalhando ou perdendo horas no Facebook ou no Whatsapp… Quando você percebe, o dia já acabou, você ficou super ocupado e, ainda assim, não produziu nem metade do que tinha programado.

Mas calma! Isso não quer dizer que vai ser assim pra sempre. Você passou anos aprendendo a trabalhar no esquema rígido e inflexível da grande maioria das empresas tradicionais, agora, nada mais normal do que você precisar de um tempinho para se adaptar a sua nova rotina.

largar tudo pra fazer o que ama

2) Você vai se questionar mais de uma vez por dia se está fazendo a coisa certa

A não ser que você já tenha um projeto paralelo muito bem encaminhado antes de pedir demissão, chances são que você vai se questionar todos os dias, ou até mais de uma vez por dia, se está no caminho certo. Mesmo que você tenha se programado financeiramente e esteja sossegado para passar, digamos, um ano vivendo da grana que guardou na poupança, é provável que você vá se desesperar quando perceber que as coisas realmente não aconteceram da noite pro dia, e que mesmo depois de alguns meses você ainda não tá conseguindo se sustentar fazendo aquilo que você ama. O dinheiro vai diminuindo na mesma proporção que o medo vai aumentando.

Dúvidas, dúvidas e mais dúvidas, elas serão suas grandes companheiras nessa batalha. E nessas horas, meu amigo, não tenho como te dizer que tudo vai ficar bem – eu também não tenho as certezas que você procura. Posso te dizer apenas que, aqueles que já passaram por isso e hoje cantam suas vitórias, dizem que é nessa hora que precisamos persistir, e continuar acreditando mesmo naquilo que ainda não vemos.

Bom, vamos acreditar que essa galera sabe o que tá falando, né?

largar tudo para fazer o que ama

3) Você vai se sentir mais sozinho do que nunca

Se você foi o corajoso da turminha, e ninguém da sua família ou do seu grupo de amigos compartilha dos mesmos sonhos (ou da mesma coragem) que você, sinto te informar, mas você vai se sentir meio solitário. Grupos no Facebook ajudam bastante a encontrar mais gente na mesma situação (pra mim, o melhor é o Vá Mais Longe, do Chico Montenegro e do Leo Alvarenga) e podem até trazer um certo alívio, mas a verdade é que você não vai mais ver tanta gente quanto via antes, quando passava o dia todo trancado no escritório. E se você estiver muito disciplinado e concentrado em estudar pra sua nova carreira ou colocar seu projeto no ar, prepare-se para passar horas, ou dias (em alguns casos mais graves, até semanas) sem ver ninguém, a não ser as pessoas que moram com você ou que estão do outro lado da tela do computador.

Esse pode mesmo ser um caminho bastante solitário, principalmente no início…

largar tudo para fazer o que ama

4) Ninguém vai entender direito o que você está fazendo

E pode ser bem chato ter que ficar se explicando o tempo todo. Dependendo da galera com quem você anda, nem mesmo seus amigos vão entender o que ou o porquê de você estar fazendo… o que mesmo?

largar tudo para fazer o que ama

5) É capaz de você engordar

Sabe como é, né? Passar o dia todo em casa, com a geladeira ao alcance das mãos… Acontece com todo mundo ou essa é só comigo mesmo? (Precisando de um apoio moral aqui galera!! rsrs)

 

Mas, no final das contas, isso tudo é muito pouco comparado ao possível resultado, ao objetivo final.

Dica importante: se você não tem ainda o seu GRANDE PORQUÊ, pare tudo e procure identificá-lo agora mesmo. Sem ele é provável que você não resista por muito tempo, mas se tiver claro à sua frente a imagem daquilo que você quer conquistar, e o motivo que te faz querer tanto isso, fica muito mais fácil encontrar forças pra continuar.

Porque fácil posso te garantir que não é, não, mas vale a pena!

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.