102° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “A LOUCURA DO MARKETING DIGITAL”

Marketing Digital - Crise dos 30

(Parte 1 de 2)

Esse é um tema que, para alguns, é super batido, mas pra muitas, muitas outras pessoas, é algo completamente novo e desconhecido (como também era pra mim, até o início de 2015). Quer entender melhor sobre o assunto sob o ponto de vista de alguém que não está ainda ativamente trabalhando com isso, mas que já deu muita cabeçada por aí tentando descobrir como é que funciona? Então vem comigo!

Você sabe o que é marketing digital?

Segundo o Wikipedia, “Marketing digital são ações de comunicação que as empresas podem se utilizar por meio da internet, da telefonia celular e outros meios digitais para divulgar e comercializar seus produtos, conquistar novos clientes e melhorar a sua rede de relacionamentos. O marketing digital engloba a prática de promover produtos ou serviços através da utilização de canais de distribuição eletrônicos para chegar aos consumidores rapidamente, de forma relevante, personalizada e com mais eficiência.”

Já o site Internet Innovation define marketing digital como “o modelo de negócio no qual a internet é usada como plataforma para a realização de ações promocionais, que têm finalidade de divulgar produtos, negócios, serviços ou atributos de marca”.

Se você nunca ouviu falar disso, provavelmente essas definições não te ajudaram a esclarecer muita coisa, né? Mesmo porque elas são extremamente incompletas… Então vamos facilitar as coisas:

Você é daqueles que já se pegou pensando como é que administradores de site ganham dinheiro? Se ninguém precisa pagar para acessar e a informação tá lá pra quem quiser ler, como é que é possível ganhar dinheiro com isso?

Marketing digital - Crise dos 30Não sei qual o seu nível de conhecimento sobre o assunto, mas você sabia que existem pessoas (MUITAS pessoas) que ganham a vida como bloggers e youtubers (sim, mesmo aquelas meninas que falam apenas sobre maquiagem e seriados de tv americanos)? Você sabia que existem pessoas que administram centenas de microsites internet afora, sobre todo e qualquer assunto que você pode imaginar, e ganham a vida vendendo produtos de terceiros através desses sites, que você encontra lá no Google? Você sabia o que financia esse mundo, em grande parte, é o seu clique? Você sabia que várias outras pessoas ministram cursos 100% online e seguem uma fórmula americana (trazida ao Brasil pelo Érico Rocha) que ensina a você, pessoa comum que nunca estudou propaganda e marketing na vida, a como se utilizar de técnicas de marketing como, por exemplo, gatilhos mentais, para divulgar e vender os seus cursos no ambiente da internet? Pois bem, o grande lance do marketing digital, o que atrai a atenção de muita gente, é que você não precisa ter uma empresa estabelecida para se aventurar nesse mundo: você, aí do sofá da sua casa, teoricamente teria o potencial para ajudar pessoas (esse sendo o grande lema do marketing digital) ensinando algo que você sabe, e sendo remunerado pra isso.

Parece coisa de louco, não parece? Eu sei, eu também pensava assim. No entanto, se é que você ainda não sabe disso, vou te contar: nesse exato momento, existem milhões de pessoas que estão totalmente focadas em ganhar dinheiro na internet, das mais variadas formas possíveis. E não, isso não necessariamente significa que são formas ilícitas. Muito pelo contrário! Tem muita gente fantástica por aí colocando muitos projetos bacanas na internet e vivendo disso. Claro que também existem os picaretas, mas essa não é a regra (infelizmente também não posso afirmar que seja absoluta exceção).

Até o final de 2014/início de 2015, eu não fazia ideia de como é que as pessoas faziam para trabalhar através da internet. Como é que uma pessoa que escreve um blog sobre viagens, ou sobre receitas, consegue sair do seu trabalho formal e se dedicar tempo integral a esse projeto, até chegar ao ponto de viver de blog? Eu sabia que essa realidade existia, mas realmente não tinha a menor ideia de como funcionava. E o que a gente faz quando não sabe como algo funciona? Vai pesquisar, claro (bem, pelo menos eu faço isso)!

E eu descobri um mundo completamente novo, e absolutamente fascinante! Um mundo que eu nem fazia ideia que existia, muito menos da dimensão que ele tem. São tantos caminhos, possibilidades e novidades, que não é exagero dizer que, por algum tempo, isso até me tirou o sono.

Marketing digital - Crise dos 30

O marketing digital comparado ao concurso público

Em um mundo onde a juventude atual pertence a tal geração Y, conhecida como uma geração insubordinada, que não para em emprego nenhum, quer crescer rápido na carreira e não vê sentido algum em passar a vida toda dentro de um escritório fazendo sempre a mesma coisa (sobre isso nem vou discutir aqui, estou apenas reproduzindo o que é dito por aí), o conceito de nomadismo digital explodiu como uma bomba, e esse passou a ser o estilo de vida almejado por grande parte dos jovens: uma vida onde seja possível trabalhar através da internet, geralmente em um negócio próprio (já que as empresas tradicionais, no geral, ainda não são nada adeptas ao conceito do trabalho remoto) e tendo liberdade geográfica, ou seja, vivendo e trabalhando de qualquer lugar do mundo. Claro que isso não ficou restrito apenas aos mais jovens, embora esse ainda seja um conceito mais comum entre o pessoal de até 30 e poucos anos.

O nomadismo digital é o grande lance do momento: a Terra Prometida onde muita gente almeja chegar. O pessoal do Glück Project define essa onda de uma forma absolutamente fantástica:

“Não sei se algum dia viverei do meu próprio blog, mas acho que esse talvez, seja “o sonho da casa própria” da nossa geração. Uma geração de pioneiros que sonha em despedir o seu patrão, explorar as fronteiras de internet e encontrar o Eldorado da blogsfera sustentável. Não deixa de ser um belo sonho.”

Isso tudo ainda é muito estranho pra você? Então deixa eu ver se consigo te explicar melhor: você lembra quando décadas atrás o grande lance era passar em concurso público? Ter um cargo público representava a Terra Prometida, a estabilidade financeira tão desejada e a tranquilidade até o final da vida, não era? Poderíamos estar vivendo nesse cenário até hoje, não fosse a popularização de uma ferramenta que mudou absolutamente tudo no mundo inteiro: a internet. Foi a internet que, cerca de 15 anos atrás, começou a tornar o trabalho remoto possível, ao passo que, hoje, o grande lance não é mais passar a vida estudando para ser aprovado em um concurso público (tô falando isso de uma forma generalizada, claro), mas sim, se tornar um marketeiro digital bem sucedido, financiando sua liberdade e trazendo a tona o conceito do faça o que você ama.

Marketing digital - Crise dos 30

Você também pode transformar a sua paixão em trabalho!

Como?

  1. Tendo um desejo profundo de ajudar as pessoas, ensinando o que você sabe e monetizando isso ao transformar seu conhecimento em um infoproduto;
  2. Vendendo os infoprodutos de quem os cria e sendo comissionado por isso;
  3. Tendo um site ou um blog com bastante tráfego e vendendo espaço de publicidade nele.

Sei que é difícil entender toda a dinâmica desse mercado assim, em três linhas, mas esse é mesmo um resumão que estou fazendo simplesmente pra explicar, em poucas palavras, como funciona o básico do mundo digital para a galera que nunca ouviu falar. Se esse é o seu caso, tenha em mente uma coisa: o marketing digital pode parecer a “desestabilidade” mais desejada do momento, mas tem muita gente por aí provando que esse estilo de vida é mais estável do que a grande maioria acreditaria ao ouvir falar.

Claro que lá no começo de 2015 eu não saberia explicar as principais vertentes do marketing digital dessa forma. Eu estava apenas começando a entender como aquilo tudo funcionava, mas fato é que, quando eu descobri que ele existia, eu passei a acreditar piamente que era isso o que eu precisava fazer da minha vida. Se realmente existia um estilo de vida desses, então eu precisava descobrir como funcionava. E informação, meu amigo, é o que não falta.

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista residente em Auckland, gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito (contanto que a morte não seja o assunto da rodinha) e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.