144° DIA: QUER SABER ALGO ESSENCIAL QUE APRENDI NA LIFESTYLE ACADEMY?

Percorrer o caminho - Crise dos 30

“O caminho não existe antes de você começar a trilhá-lo. Ele não existe! Ele vai sendo construído conforme você caminha” – Flávia Melissa, durante palestra na Lifestyle Academy 2015

Acordei hoje já com o computador na mão: embora eu saiba que não devo fazer isso (é ruim pra minha produtividade, me faz deixar a yoga de lado e já partir pra ação antes de dedicar um tempo essencial do meu dia à minha preparação, ao meu corpo, mente e espírito), hoje foi mais forte que eu. Não, eu não fiz minha yoga. Sim, nesse momento já são 2:30 da tarde, eu emendei uma coisa na outra e não saí da frente do computador até agora. Já trabalhei, já preparei minha sessão de coaching de hoje à noite (sim, já estou atendendo, mas por enquanto ainda não abri oficialmente a agenda!), já preenchi relatórios, já estudei, já respondi diversas mensagens que estavam atrasadas desde semana passada, e agora tô aqui escrevendo pro meu amado Desafios dos 222 Dias.

High Performance Academy
Brendon Burchard, criador da High Performance Academy, com quem tive a incrível oportunidade de aprender ainda mais, ao vivo

Quando faço isso, geralmente fico me sentindo meio mal, culpada por falhar ao não seguir com o plano da minha rotina matinal, mas hoje eu estava tão empolgada para reler as anotações do evento, que acabei me dedicando a isso desde as primeiras horas da manhã. Na verdade, eu não queria correr o risco de perder a pegada…

Quando fui pra High Performance Academy no mês passado, na Califórnia, minha mente ficou borbulhando de ideias e eu tinha muitas coisas sobre as quais queria escrever, mas depois do seminário passei uns dias em São Francisco, depois vim pro Brasil, o tempo acabou passando e eu não escrevi nada do que eu queria, não compartilhei nada do que eu queria. Agora tenho que tirar um tempo pra voltar lá atrás nas minhas anotações e trazer aqui pro Crise dos 30 um pouco do que aprendi naquele evento fantástico (e eu vou fazer isso, tá? Promessa de escoteiro!).

Pra que não acontecesse a mesma coisa com o Lifestyle Academy, aqui estou eu, disposta e focada em dividir com vocês, todos os dias até o final dessa semana, alguns ensinamentos que absorvi durante as palestras que mais me marcaram nesse evento, que aconteceu de 06 à 08 de Novembro, no Rio de Janeiro.

Vocês encaram o desafio comigo?

Flávia Melissa
Flávia Melissa
Flávia Melissa na Lifestyle Academy
Flávia Melissa durante palestra da Lifestyle Academy 2015

Uma das palestras mais fantásticas que tive a honra de assistir foi a da Flávia Melissa (já falamos dela aqui). Ela fez meu pai e muitas outras pessoas que estavam naquela plateia chorarem como crianças! Foi um momento de muita reflexão e muito incentivo à ação, o que eu realmente aprecio num evento como esses.

Uma das coisas que mais me marcou foi exatamente essa frase que coloquei aqui em cima, logo no comecinho do post, mas que sem contexto, talvez não faça o mínimo sentido pra você.

Ela estava falando sobre o fato de que a gente tende a procurar um mapa da mina que nos leve a encontrar a felicidade no final do arco-íris. FELICIDADE, esse algo que todos nós buscamos, mas que tendemos a imaginar como um momento onde tudo será lindo e perfeito, e problemas não mais existirão. Nem vou entrar aqui no mérito do que é ou deixa de ser felicidade, mas o que a Flávia disse é que, na verdade, não teria nem como alguém criar esse mapa da mina, porque o caminho só existe de verdade quando damos o primeiro passo, quando nos colocamos em ação, quando começamos efetivamente a trilhá-lo.

Crise dos 30A Paula Abreu sempre repete uma frase que gosto muito:

“Dê o passo que o chão aparece embaixo”, e acho mesmo que é bem por aí.

Quantas vezes a gente deixa de fazer algo, deixa de tomar uma decisão importante, de assumir um risco, simplesmente porque não conseguimos enxergar todo o caminho? Nós queremos respostas, queremos certezas, e nos iludimos achando que essa é a nossa busca, enquanto estamos, na verdade, nos movendo não mais do que um cachorro que corre atrás do próprio rabo. Não percebemos o óbvio: é absolutamente impossível prever o que vai acontecer, calcular cada passo, ter cada milímetro de certeza. O caminho que você está tentando enxergar antes mesmo de sair do lugar, para apenas depois se colocar em movimento, nem sequer existe! É você mesmo que constrói o caminho, que constrói a sua história, a cada passo que decide dar.

Sim, é questão de tomar uma decisão: a decisão de começar.

O Gerônimo Theml sempre conta uma história que, pra mim, é a melhor forma de exemplificar essa questão. Imagine que você está na garagem da sua casa, durante a madrugada, pegando o carro pra fazer uma viagem, digamos, de São Paulo até o Rio de Janeiro. Tá tudo escuro, um breu total. Você liga o carro, sai da garagem, e o farol do carro ilumina apenas os primeiros 20 metros à sua frente. Você não consegue enxergar os próximos 430 quilômetros, apenas aqueles primeiros 20 metros. No entanto, à medida que você vai avançando na estrada e anda esses 20 metros, o farol ilumina os próximos 20, e depois os próximos 20, e assim por diante, até que você finalmente chega ao seu destino.

Assim é a vida. Não dá pra se dedicar integralmente a planejar, tentando enxergar uma estrada que é simplesmente impossível de ser vista em sua plenitude daí de onde você está. Da sua garagem, você enxerga apenas os primeiros 20 metros. É necessário tomar a decisão de percorrê-los, mesmo sem conseguir ver exatamente o que está à sua espera pelo caminho.

Estrada Escura - Crise dos 30

Sempre que posso conto essa historinha do Gerônimo, pois foi ela que, lá em março de 2015, me ajudou a tomar a decisão definitiva de pedir demissão do meu emprego como Gerente Geral de uma Operadora de Turismo na Nova Zelândia. Até aquele momento, já tinham se passado ao menos 18 meses desde que eu comecei a me dedicar ao autoconhecimento (ainda que de maneira totalmente empírica) e a refletir sobre minha vida profissional e meu estilo de vida no geral. Acontece que eu tinha a ilusão de estar em movimento por estar lendo, refletindo, questionando, quando eu não passava de um cachorro cansado que gastava toda a sua energia dando voltas e mais voltas, correndo atrás do próprio rabo.

6 meses e 10 dias de caminhada efetiva fizeram mais por mim do que os 18 meses de preparação. A verdade é que resultados palpáveis só começaram a aparecer quando eu resolvi sair da garagem e iluminar os primeiros 20 metros. Hoje ainda estou longe de chegar ao meu destino, mas a estrada… Ah, a estrada é linda! E eu sou grata por já conseguir apreciar a paisagem.

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.