147° DIA: A TAL LEI DA ATRAÇÃO

Lei da Atração - Crise dos 30

E esse é o post que encerra uma sequência de quatro posts onde compartilhei, em mais detalhes, os insights mais poderosos que tive durante a Lifestyle Academy, um dos maiores eventos de desenvolvimento pessoal do Brasil, que aconteceu no Rio de Janeiro entre os dias 6 e 8 de novembro de 2015.

Como já contei nesse post aqui, no segundo dia do evento tivemos a honra de ouvir a Rha Goddess, coach americana que desenvolve um trabalho lindo através da Move the Crowd. Os assuntos e reflexões que ela trouxe durante os quase 90 minutos de palestra não foram nada que eu nunca tivesse ouvido falar antes, mas como bem diz o Brendon Burchard, “o senso comum não é a prática comum”. Nós sabemos, mas não praticamos.

O que mais me emocionou durante a palestra da Rha foi, sem dúvida nenhuma, a presença que ela tem. Ela é o tipo de pessoa que sobe no palco e fica em silêncio, por vários segundos, apenas observando e sentindo a energia do lugar: com isso, a energia que ela transmite é intensa, e pode ser sentida independentemente do lugar onde você estiver sentado. Não demorou muito até que ela tivesse minha atenção integral, do primeiro ao último minuto.

Um dos conceitos que ela trouxe é algo que eu já conheço bem, pois esteve presente tanto durante meu primeiro processo de coaching, como durante toda minha formação em coaching: The Mindset Wheel (ou a Roda da Mentalidade).

A roda da mentalidade

Desde que cheguei no Brasil, andei conversando bastante sobre isso com algumas pessoas da minha família e também com alguns amigos, e ter tido a oportunidade de ouvir a Rha também falar sobre esse assunto foi um reforço importante relacionado a algo que fez – e tem feito cada vez mais – sentido pra mim.

Você já ouviu falar na Lei da Atração? Aquele livro “O Segredo”, que estourou alguns anos atrás (e que eu nunca li) fala sobre isso. Pra quem nunca se aprofundou nesse conceito, parece coisa de doido, mas na verdade é algo bem simples: SEUS PENSAMENTOS CRIAM SUA REALIDADE. Ponto.

Estranho, né? Como assim eu sou responsável pela minha realidade? E o governo? E as outras pessoas? E meu chefe?

Lei da Atração - MeditaçãoAí tem gente que deduz que basta você mentalizar o tempo todo aquilo que você quer (um carro, um namorado, um emprego novo) e acreditar naquilo com todo o seu ser, que você será atendido.

Bom… Não é bem assim que eu vejo a tal da Lei da Atração…

Eu me considero uma pessoa cética em relação a várias coisas, e a Lei da Atração era uma delas. Até que resolvi estudar e entender melhor como é que ela funciona. O que aprendi foi o seguinte:

“Nossas CRENÇAS (que aqui não tem nada a ver com religião, mas sim, com aquilo em que acreditamos, algumas vezes conscientemente e outras vezes subconscientemente) governam nossos PENSAMENTOS, que guiam as nossas AÇÕES (afinal, agimos de acordo com o que pensamos sobre nós mesmos, sobre a vida, sobre o mundo) e são elas que produzem nossas EXPERIÊNCIAS.”

Faz sentido, né? Mas aí vem uma etapa importante: são nossas EXPERIÊNCIAS QUE REFORÇAM NOSSAS CRENÇAS! E é por isso que isso é chamado de Roda da Mentalidade, pois é um ciclo vicioso, que não acaba nunca.Emagrecer - Crise dos 30

Quer um exemplo? Se eu trabalho em um restaurante e acredito que é impossível emagrecer trabalhando com comida (CRENÇA), eu vou pensar que não adianta eu fazer dieta pois não vou conseguir me manter na linha (PENSAMENTO), o que vai me levar a nem sequer tentar ou me sabotar o tempo todo, comendo ainda mais (AÇÃO), que vai resultar num ganho de peso (EXPERIÊNCIA) que vai reforçar a minha crença que… É IMPOSSÍVEL EMAGRECER TRABALHANDO EM RESTAURANTE! (obrigada a minha amiga – que não vou citar o nome pois não pedi autorização pra ela para falar sobre isso aqui – com quem tive essa conversa e me permitiu trazer esse exemplo para ilustrar exatamente o tema do post de hoje. Sei que você vai ler Crise dos 30 - Blink).

Fica mais claro agora o porquê algumas pessoas dizem são nossas crenças e pensamentos que determinam nossa realidade?

Lei da Atração - Crise dos 30A boa notícia é que esse ciclo vicioso pode ser transformado num ciclo virtuoso. O que a Rha disse durante a palestra foi algo óbvio, mas que foi fundamental eu ouvir de novo: “O melhor de tudo é que a roda funciona de qualquer jeito, não apenas para as crenças negativas, mas também para as crenças positivas”.

A partir do momento que mudamos nossas crenças, pensamos diferente, agimos diferente, temos experiências diferentes e, como resultado, reforçamos crenças que nos tornam pessoas muito melhores, com experiências de vida melhores e resultados muito mais positivos.

Sabe aquela frase do Einstein que diz “Insanidade é fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes”? Então…

É ao investigarmos e trabalharmos nossas crenças e, consequentemente, mudarmos nossa forma de pensar, que se torna possível “tomar as rédeas da própria vida”, coisa que há mais de uma década tento fazer, mas nem entendia o que precisava ser feito para que isso pudesse ser uma realidade. Hoje eu entendo um pouquinho mais (falta muitooooooo ainda) e cada uma dessas pessoas que passam pela minha vida, seja no meu mundo físico, ou através de um livro, de um texto na internet ou no palco de uma palestra, estão fazendo a diferença e me permitindo aprender (e agir) cada vez mais rumo àquilo que eu conscientemente escolhi viver: a MINHA vida.

Eu sou grata!

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.