163° DIA: PEQUENAS DECISÕES TAMBÉM PODEM SER ESTRESSANTES

stress - Crise dos 30

Como vocês podem perceber, fiquei dois dias sem escrever.

Eu já sabia que isso iria cedo ou tarde acontecer, principalmente agora que resolvi, de certa forma, abraçar o mundo: eu estou, literalmente, com a agenda lotada – tanto profissionalmente quanto pessoalmente. O Henrique está aqui em São Paulo pra passar dez dias, todos os meus amigos e familiares querem vê-lo, então temos programações manhã, tarde e noite. Tive uma semana agitada por conta dos atendimentos novos que comecei a fazer já que, embora possa não parecer, cada sessão de coaching envolve horas de trabalho, antes e depois.

Ontem, só pra vocês terem uma ideia, eu tive atendimento pela manhã, almoço com uma amiga querida à tarde, saí direto e meio que correndo pra casa de outra amiga querida para um bate-papo e um café da tarde, e de lá fui direto pra casa dos meus primos pro jantar. E assim será minha vida pelas próximas duas semanas, principalmente pelo fato que no final dessa semana estou embarcando pro Sul: minha vez de visitar a família do namorido!

Correria boa essa! Coisa que sempre sinto muita falta quando tô lá na Nova Zelândia!

stress - Crise dos 30Mas aí, no meio disso tudo, tem o Crise dos 30. Tem aquele desafio que me propus pouco mais de 5 meses atrás, e que não queria deixar de lado de jeito nenhum. Cada dia eu tenho que tomar uma pequena decisão, mas que tem poder pra me deixar louca: sacrifico meu tempo com minha família e amigos (e com meu namorado, que não vejo direito há quase dois meses) para cumprir o desafio de escrever todos os dias no blog, ou opto por não escrever um dia ou outro e me dedico integralmente às pessoas que estão à minha volta?

Eu descobri que pra eu ficar em paz com minha decisão, qualquer que ela seja, eu preciso decidir e esquecer. Não adianta optar por não escrever e ficar remoendo essa decisão, me culpando e não me permitindo relaxar num jantar em família ou num encontro com amigos.

O Crise dos 30 pra mim é um compromisso. Sempre foi. Mas nesse momento eu estou vivendo uma outra fase da minha vida, algo que eu não poderia prever quando me propus o Desafio dos 222 Dias, e essa é a parte interessante: é, na verdade, o que torna isso tudo um desafio. Cada dia é um novo desafio, cada novo dia é uma oportunidade que eu tenho de decidir onde vou investir meu tempo, minha atenção, minha energia.

Nos últimos dois dias, eu me dediquei totalmente às pessoas que estavam ao meu redor, pessoas com quem eu tenho a oportunidade de conviver tão poucas vezes, e por tão pouco tempo. Eu optei por sacrificar o blog e o meu compromisso com o Desafio dos 222 Dias, e foi uma escolha consciente, que sei que vai acontecer mais vezes daqui pra frente. Mas eu optei por não me deixar estressar por essas pequenas decisões.

“Vai dar tempo de eu escrever hoje? Se eu for escrever, vou ter que deixar pessoas que eu amo de lado, esperando por mim? Vou ter que reduzir o tempo de encontro com um amigo?”

Como sempre, é uma questão de prioridades. Eu não sei se sou só eu (imagino que não) mas não honrarsaudade - Crise dos 30 um compromisso que assumi realmente me faz sentir mal. No entanto, eu iria me sentir ainda pior caso optasse por deixar de lado momentos e pessoas que eu sei que vão me fazer muita falta daqui dois meses, quando eu não tiver mais aqui.

Então é essa minha nova estratégia: decidir e esquecer. Hoje tenho um almoço em família e, se Deus quiser e tudo der certo, um show do Lenine com o namorado, em sua primeira vez no Parque do Ibirapuera. Amanhã, começam de novo os atendimentos, logo às 8h da manhã. Vai dar tempo de escrever? Ainda não sei, mas quando eu decidir onde vou colocar o que restar do meu tempo e da minha atenção… Já sabe, né? Não vou me deixar estressar pelo lado negativo da decisão, não!

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.