174° DIA: QUE HISTÓRIAS VOCÊ QUER CONTAR?

que histórias você quer contar

Hoje é dia 10 de dezembro. Faltam exatas 3 semanas para o final do ano. 21 dias. Apenas mais 21 dias e 2015 terá ficado pra trás, terá virado história.

Nessa época do ano, a maioria de nós fica pensativo, relembrando as conquistas e dificuldades dos últimos 12 meses, reconsiderando tudo. Imagino que esse período já tenha chegado pra você, assim como já chegou pra mim. Então quero te fazer uma pergunta:

No dia 31 de dezembro, quão orgulhoso você estará das histórias que terá pra contar sobre 2015?

O coach Gerônimo Theml, meu mentor e professor, diz que um dia todos nós viveremos apenas de história (sabe aquela imagem do vovô na cadeira de balanço, contando histórias pros filhos e pros netinhos? Então…)  e ele sempre pergunta: “Que histórias você quer contar?”

Ponto de exclamação

Pare tudo. Agora. E pense: você sabe quais são as histórias que você quer contar?

Em março desse ano, ao assistir uma palestra do Gerônimo, eu fiz um compromisso comigo mesma (é uma pena que eu não tenha meu caderno comigo aqui, pra te mostrar o que eu escrevi em uma das páginas logo após o término da palestra). Eu prometi pra mim mesma que eu me dedicaria, nos 12 meses seguintes, a construir histórias que eu teria orgulho de contar. Eu estava vivendo uma depressão, e eu sabia que precisava mudar muitas coisas na minha vida pra conseguir dar a volta por cima e voltar a ser a pessoa que eu sempre fui. Eu precisava me reencontrar com a alegria, eu precisava voltar a enxergar significado na forma como eu vivia meus dias.

Eu tinha ideias, eu tinha projetos, eu tinha sonhos, mas me faltava a coragem. Me faltava a coragem de acreditar que, aos 30, eu poderia me dedicar a algo novo e me tornar uma excelente profissional em algo que não fosse o Turismo. Me faltava a coragem de, aos 30, acreditar que o estilo de vida dos meus sonhos poderia ser uma realidade pra mim. Me faltava a coragem de, aos 30, acreditar que eu poderia mais uma vez arriscar e, se não desse certo, eu sempre teria condições de voltar atrás, e ficaria tudo bem. Sim, ficaria tudo bem.

Cerca de 9 meses se passaram desde aquele dia. Ainda tenho 3 meses pela frente, mas o que construí até aqui já me dá motivo mais do que suficiente pra comemorar. O caminho a ser percorrido é looooooongo, mas eu estou tão feliz por ter dado os primeiros passos!

Que histórias você quer contar

É preciso começar de algum lugar.

Não dá pra prever tudo o que vai acontecer, mas é preciso começar de algum lugar. É preciso tomar uma atitude pra mudar aquilo que está sugando sua energia, aquilo que está te deixando infeliz.

Se você não acredita, eu tô aqui pra te dizer: é possível! Se está, aos poucos, se tornando possível pra mim, é possível também pra você. Nós não somos diferentes. Eu não tenho nada de especial. Eu apenas decidi, 9 meses atrás, que eu teria orgulho de contar as histórias que eu construiria nos 12 meses seguintes. Foi ali que as coisas realmente começaram a acontecer, ou melhor, que eu decidi que eu daria o meu melhor pra fazer as coisas acontecerem. E elas estão acontecendo.

Em 2016, que histórias você quer contar?

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.