190° DIA: MINHA LISTA DE GRATIDÃO 2015

Lista de gratidão - Crise dos 30

Dois dias atrás eu te sugeri que fizesse uma lista com ao menos 20 coisas pelas quais você pode agradecer em 2015, lembra?

E aí, já fez?

Hahaha brincadeirinha… Ser pressionado até pela blogueira que você acompanha, aí já é demais, né?

Só sei que seria muita hipocrisia se eu sugerisse algo que eu mesma não fizesse, então vim aqui te dizer que eu tenho a minha lista da gratidão feitinha, aqui do meu lado. Adivinha quantos itens ela tem?

41. Sim, quarenta e um!

E não foi difícil relembrar esses momentos, fatos e acontecimentos. Na verdade, eu terminei a lista em 25 itens, mas aí fui lembrando de mais e não resisti a tentação de acrescentar à lista. Só parei de escrever mesmo porque a folha já tinha acabado e eu estava com fome, precisava providenciar o café da manhã… rsrs

Eu comecei agradecendo pelas coisas mais grandiosas, claro, pois são elas que imediatamente surgem na nossa mente quando pensamos no que podemos agradecer. Pra mim, essas grandiosidades foram coisas do tipo: a oportunidade de passar 3 meses no Brasil com minha família, a minha formação em coaching, a minha recuperação emocional. Mas à medida que a lista ia fluindo, fui ficando mais confortável com o papel e a caneta na mão e comecei a me lembrar de momentos especiais que vivi, como por exemplo, o dia do meu aniversário de 30 anos, um abraço acompanhado de uma frase específica que ouvi do meu namorado (e que me deu mais força nos momentos difíceis do que ele jamais pudesse imaginar), pelo sorvete especial, com uma pessoa especial, em um lugar especial.

Gratidão é mesmo um exercício, e como todo exercício, a gente vai ficando melhor com o tempo, à medida que pratica mais. Isso me fez lembrar de um texto da Flávia Melissa que li certa vez, e que fez todo sentido pra mim:

“Eu já quis muito que as pequenas coisas fossem grandes e morri, muitas vezes, no meio do caminho entre o que era e o que eu queria que fosse. Então, um dia, aprendi a agradecer pelas pequenas coisas, e de repente elas ficaram grandes. Elas não mudaram: meus olhos é que se ajustaram.

São as pequenas coisas. A gente passa a vida querendo que ela seja repleta de coisas grandes e significativas – e não que elas não existam, porque existem sim. Mas, na maior parte do tempo, não é das grandes coisas que a vida é feita. É das pequenas. E quando a gente aprende a olhar pras pequenas coisas com olhos coloridos, tudo se transforma em milagre.

Então eu agradeço. Agradeço pelas pequenas coisas. (…) São as pequenas coisas. Na grande maioria das vezes são as pequenas coisas. Muitas pequenas coisas, dia após dia, fazem nossa vida ser grande. A maior coisa que pode existir. Amor, amor.”

Realmente, são as pequenas coisas.

Você ainda duvida?

Se você teve dificuldade de encontrar os 20 itens pra sua lista da gratidão, dê uma olhadinha nela novamente. Se permita agradecer pelas pequenas coisas, sem se sentir bobo, sem se sentir pequeno, sem se sentir sem graça. Foque no que é pequeno e são esses momentos que farão do seu ano grandioso.

Por um 2016 grandiosamente simples.

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista que antes residia em Auckland (agora em período de transição), gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito, e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.