209° DIA: ESSES FILMES PRA CRIANÇA QUE NÃO SÃO NADA INFANTIS…

O bom dinossauro

Hoje tive um dia super especial! Dia que as crianças levaram os adultos da família pra passear, num programa super sessão da tarde, daqueles que eu simplesmente amo!

O dia de embarcar de volta pra Nova Zelândia tá chegando e acho que isso me faz valorizar ainda mais cada singelo momento que tenho com meus pequenos, com meus pais, com meus tios. Não quero mesmo mais nada da vida por agora, só estar com eles e não permitir que nenhuma chateação boba e desnecessária tire a minha paz (infelizmente elas são teimosas e ficam o tempo tempo tentando ganhar minha atenção, mas não tão conseguindo não, heim? Aquela história do mude seu foco, mude sua vida realmente funciona na prática, pode confiar!) Crise dos 30 - Emoticon Feliz

cinema com pipocaFomos ao cinema assistir o novo filme da Pixar, O Bom Dinossauro. Como muitos dos filmes recentes ditos ‘para crianças’, ele traz uma temática super adulta. Na minha opinião, não chegou aos pés do Divertidamente nesse quesito (se você ainda não assistiu, super indico! Um dos melhores filmes que assisti em 2015!), mas curti também e até chorei no final (como todo o resto da minha turminha, inclusive uma das crianças… rs).

Eu não vou ficar aqui fazendo resenha de filme porque realmente não é minha praia, mas vou te dizer que ele faz pensar bastante sobre um tema que tem sido uma constante em minhas reflexões, leituras e questionamentos desde 2014: o medo. Me fez lembrar de uma frase que ouvi um tempo atrás e que fez toda a diferença nas minhas tomadas de decisão recentes, que envolveram desde largar meu emprego em maio de 2015 até ficar três meses seguidos no Brasil e meter as caras na atuação como coaching:

CORAGEM NÃO É A AUSÊNCIA DO MEDO, MAS SIM, AGIR APESAR DELE.

Quando assimilei essa frase, parei de brigar com meus medos na esperança de eliminá-los, ou melhor, parei de esperar para agir apenas quando os medos não existissem mais.

No filme, tem uma hora que um dinossauro daqueles grandões, que tem uma cicatriz enorme no rosto devido a uma mordida de crocodilo, fala: “Se alguém estiver mordendo a sua cara e você não sentir medo, tem alguma coisa errada!”

Essa cena me fez lembrar de uma entrevista simplesmente fantástica que assisti da Liz Gilbert com a Marie Forleo, onde a Liz fala que ela não tem interesse nenhum em ser uma pessoa fearless (que não sente medo), pois as únicas pessoas realmente fearless que ela conheceu ou eram crianças insensatas ou psicopatas, e ela não tem interesse nenhum em ser nenhuma dessas duas coisas.Coragem - Crise dos 30

Interessante, né? E isso fez todo o sentido pra mim! Mas saber disso e não agir de acordo seria a mesma coisa que nunca ter sabido. Foi apenas quando tomei coragem de realmente agir apesar do medo que as coisas realmente começaram a mudar: quase dois anos de tristeza e angústia praticamente superados em apenas alguns meses.

Tenho muitos medos ainda a superar, claro! E alguns com os quais ainda tenho que aprender a lidar. Mas a transformação só começa quando resolvemos dar o primeiro passo, tomar a primeira atitude.

E você? No que ter consciência de que seus medos te paralisam tem te ajudado até hoje? De que tem adiantado saber que “coragem não é a ausência do medo, mas sim, agir apesar dele”, se essa tal ação nunca acontece?

Heim?! Heim?!

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista residente em Auckland, gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito (contanto que a morte não seja o assunto da rodinha) e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.