Você vive na terra do ‘E se…’?

Crise dos 30 E se

Hoje é dia 15 de outubro de 2016. Tenho 31 anos, 6 meses e 25 dias. Cheguei nos 30 já tendo realizado muito mais do que poderia imaginar aos 25, e muito menos do que achava que certamente já teria realizado quando eu tinha 15 (e me projetava como uma mulher de 30 independente, viajada, casada, com filhos, financeiramente resolvida e com uma carreira estabelecida).

Ah, aquela pressão de chegar aos 30 com a vida resolvida… Você conhece o drama, né? Conhece que eu sei…

Pode ser que eu esteja falando bobagem, mas acho que não conheço ninguém que tenha hoje por volta dos 30 e que esteja bem resolvido. Quanto mais converso com as pessoas, mais percebo que, por mais felizes e realizadas que estejam, todo mundo deixou alguma coisa pra trás (Ufa! Não foi só eu!). Tem os que têm casa, casamento e filhos, mas convivem com aquela vozinha interna dizendo que talvez tivesse sido uma boa ter investido mais tempo e dinheiro em viagens e experiências no exterior. Tem os que viajaram pra caramba e que hoje dariam um braço e uma perna pra ter um amor ao lado, Crise dos 30 fighting demonsmas sabe como é, a gente vai ficando mais velho, mais exigente, e fica mais difícil relevar algumas manias… Conheço até quem morra de vontade de fazer a tão sonhada transição de carreira, “se eu apenas não tivesse filhos… Com tantas responsabilidades financeiras, é muito arriscado…”

E não digo isso num tom de julgamento. De jeito nenhum! Esse padrão é algo que tenho percebido mais claramente nesses últimos tempos e que, de alguma forma, me ajuda a ‘fight my own demons’, a perceber que não importa o caminho que eu escolhi, se tivesse escolhido outro, certamente também teria deixado alguma coisa pra trás, e é assim pra todo mundo.

P-R-A  T-O-D-O  M-U-N-D-O.

Então relaxa… Não acontece só com você. Você não é o único ser na fase da Terra que chegou aos 30 questionando todas as suas decisões até agora, nem o único a ter a sensação que ainda tá faltando alguma coisa.

É óbvio, eu sei, mas não é que dá um alívio ouvir isso da boca de alguém?

Tá tudo certo, meu povo. Tá tudo certo… O que não dá é pra passar a vida na terra do “e se”, porque isso só traz desprazer, angústia e infelicidade.

Crise dos 30 - O que tem de errado comigoNunca foi apresentado ao ‘e se’?

Sabe aquela onda do “E se eu tivesse feito outra faculdade?”; “E se eu tivesse esperado pra ter filhos?”; “E se eu tivesse viajado mais antes de casar?” Então… Saiamos dessa!

Se é pra viver na terra do ‘e se’, então que seja assim:

‘E se’ você parasse de se torturar por tudo aquilo que poderia ter sido e não foi?  ‘E se’ você se concentrasse no que pode fazer agora, em como trazer pra sua vida as experiências que você ainda quer viver?

Sounds like a plan?

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista residente em Auckland, gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito (contanto que a morte não seja o assunto da rodinha) e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.