Promessas de fim de ano – Será que eu cumpri alguma?

Promessas de fim de ano Crise dos 30

Gente, faltam 66 dias pra 2016 acabar! Sabe o quanto é isso? São apenas 9 segundas-feiras. NOVE!!!

Alô, alô, 2016! Onde você foi parar?

Parece que foi ontem que voltei do Brasil empurrando minha malinha e sem ideia nenhuma do que seria do meu ano. Estava cheia de dúvidas, incertezas, e super insegura do que seria principalmente da minha vida profissional (se você acompanhou o Crise dos 30 e o Relatos de Uma Inquieta ano passado sabe exatamente os detalhes dessa história). Hoje está fazendo exatos 9 meses desde que pisei novamente em terras kiwis, mal sabendo que apenas 20 dias depois já estaria encarando meu primeiro dia no trabalho novo.

Já estamos em outubro! Nem me acostumei ainda com minha nova idade e daqui a pouco já vou assoprar velinhas de novo…

Promessas de fim de ano Natal Crise dos 30Ao mesmo tempo que parece que vivi uma vida inteira nesses nove meses, tenho a sensação de que passou muito, muito rápido. Mal dá pra acreditar que em mais algumas semanas já estarei desencaixotando bolinhas pra enfeitar mais uma árvore de Natal…

(Se você é meio Grinch já deve ter arrepiado só de ler a palavra N-A-T-A-L… rsrs)

E com essa constatação toda de que o fim do ano está muito mais próximo do que tinha me dado conta, veio a inevitável chicoteada nas costas:

PQP, Caroline! Mais um ano se passou e você não cumpriu com absolutamente NADA do que se propôs a fazer no final de 2015. Que inútil que você é! Que ridícula!

(Quando eu mesma me chamo de Caroline é porque o negócio tá feio pro meu lado…)

Já tava ficando cabisbaixa e perdendo a motivação de continuar meu dia de doente (sim, tô de cama por causa de uma gripe. De novo…), quando me lembrei que no final do ano passado escrevi, num pedaço de papel, as minhas resoluções de ano novo. As coisas mais importantes que eu queria realizar em 2016.

Fiquei curiosa. Fui procurar o tal papel na intenção (camuflada) de ter uma prova irrefutável do quão inútil eu sou e do quanto eu não faço nada do que tenho que fazer. Afinal, contra fatos não há argumentos! Aquela folha sulfite com meus rabiscos em letra de mão seria a perfeita evidência de que 2016 foi um ano que eu deixei escorrer pelos dedos, onde não fiz nada do que sabia que era importante pra minha vida, pro meu futuro.

Até que achei o papel. Olha ele aqui:

promessas de fim de ano Crise dos 30

Confesso que fiquei surpresa! Não lembrava mais dos detalhes do que tinha escrito…

Fui olhando item por item:

Crise dos 30 - Yoga1)Cuidar mais da minha saúde

A imagem que eu tinha na minha mente no dia 26 de dezembro de 2015, quando escrevi essa lista, era a de uma yogi zen, abrindo espacates e meditando por meia hora numa sala forrada de tapetes e almofadas bonitas, com um incenso (que certamente me faria espirrar como louca por conta da rinite) e uma iluminação enfraquecida. Imagino que é por isso que até algumas horas atrás tinha claro pra mim que esse objetivo não tinha sido cumprido…

Mas aí olhei essa lista. Eu estabeleci 3 itens que achava importante e que pra mim eram sinônimos de cuidar mais da minha saúde: yoga, meditação e emagrecer e voltar aos 58kg.

Me dei conta que faz 3 meses desde que me matriculei na academia e comecei a fazer yoga, pilates e zumba com frequência. Comecei num ritmo frenético de aulas de quarta a domingo, mas hoje em dia eliminei os domingos e estou conseguindo manter uma média de exercícios 3 vezes por semana. O melhor de tudo? EU GOSTO! É uma luta diária contra a preguiça e o cansaço, admito, mas estou orgulhosa de não ter desistido e de ter me comprometido com a prática. Ainda não medito e meio que desencanei disso por enquanto, mas o restante dos hábitos que estou incorporando na minha rotina estão me fazendo muito bem, obrigada!

Ah! Ainda não cheguei aos 58kg, mas voltei pros 60kg, o que já é motivo pra comemorar!

Objetivo #1: cumprido em mais ou menos 60%

 

Promessas de fim de ano Crise dos 30 Dinheiro2) Reorganizar minha vida financeira

Isso era algo que estava me tirando o sono no final do ano passado – eu estava ansiosa pra reestabelecer a ordem na minha conta bancária! Percebi que não tenho esse desprendimento todo que gostaria de ter, e que ficar vendo o dinheiro ir embora sem nenhum entrando me traz uma sensação de que vou perder o controle total e me afundar em dívidas.

Conscientemente eu não acredito nisso, mas são fantasmas de um passado que insistem em se fazer presente. Traumas, crenças enraizadas, dê a isso o nome que preferir dar. A questão é que o fato de ter de novo uma grana entrando toda semana, poder pagar meu aluguel, as contas da casa, e refazer uma poupancinha pra viajar me traz um alívio que não dá pra explicar.

Por um lado isso me assusta, porque minha ideia não é a de vender meu tempo (e com ele minha alma) pra sempre, a troco de uns cruzados, mas que ter um salário caindo na conta todo mês traz uma tranquilidade, ah, isso traz!

Objetivo #2: cumprido 100%

 

 Crise dos 30 Redescoberta3)Continuar no caminho da minha redescoberta profissional

Esse aqui era o que mais me deixava frustrada. Ultimamente tenho me questionado se o fato de estar dando aulas não estaria me desviando do caminho que escolhi, do futuro que quero criar pra mim. Foi assim até ler o que eu mesma estabeleci como objetivo pra esse ano.

Foi essencial relembrar que tudo o que eu queria era continuar no caminho da minha redescoberta, e que uma das coisas que me propus a fazer foi tentar coisas novas, entre elas, dar aulas. Essa era uma opção que eu já considerava desde os tempos da faculdade, mas sempre deixava pra depois pois não acreditava ter a experiência e o conhecimento necessários. Até que deu certo! Duas loucas acreditaram em mim, no que leram no meu curriculum e na aula piloto que dei, e resolveram que eu era a candidata ideal para ocupar o cargo.

É cansativo e consome todas minhas energias, mas foi importante relembrar que foi exatamente isso que me propus a fazer. Não me desviei do meu caminho, esse foi exatamente o caminho que eu escolhi e que eu precisava trilhar! Se lá na frente resolver mudar de rumo, tudo bem, mas não peguei a estrada errada, não!

Objetivo #3: cumprido 100%

 

Escrever - Crise dos 304)Terminar meu e-book

Hummmmm… Esse aqui não tenho desculpa! Pior que já tá praticamente todo escrito…

Bem, ainda tenho 66 dias pela frente. Será que consigo eliminar minhas próprias barreiras?

Objetivo #4: cumprido em 0%

 

***

Que importante que foi ter tomado a decisão de escrever meus objetivos, de próprio punho (já que isso dá um tom muito mais pessoal e emotivo pra coisa toda). Se não fosse por isso, correria o risco de terminar 2016 me sentindo uma loser, sendo que eu não sou!

A gente muda muito em um ano. A vida muito muito, mesmo que a gente não perceba. E é tão bacana acompanhar ativamente o nosso próprio progresso. Na verdade, não é apenas bacana, é ESSENCIAL! Do contrário, pode parecer que a gente só está se arrastando, quando não é verdade. Bem, pelo menos não foi verdade nesse caso…

Você sabe o quanto progrediu em 2016? Sabe mesmo, ou está apenas seguindo o fluxo do chicote: se culpando, se achando o pior do universo, se chicoteando?

Se eu puder te dar apenas uma sugestão: escreva suas resoluções de ano novo pra 2017! Com papel e caneta, nada de computador! E se você fez uma lista ano passado, procure a sua e veja o quanto você conseguiu evoluir em direção aos seus objetivos.

Se depois de ler o que escreveu, o resultado for uma depressão ainda maior, lembre-se que ainda temos 66 dias pela frente: dá pra fazer coisa pra caramba: não precisa esperar até o ano que vem…

Love,

Carol

Carol Sales

Paulista residente em Auckland, gosta de sol e mar, de chuva e aconchego, de frio e cobertor. Hoje. Talvez amanhã não goste mais.
Acredita que nada acontece por acaso e que a vida dá seu jeito (contanto que a morte não seja o assunto da rodinha) e vive numa eterna batalha entre ir pra academia, ler, escrever ou ficar de bobeira pesquisando sonhos na internet - sonhos esses que 99.9% das vezes tem a ver com definir o próximo destino.