Autoestima

Promessas de fim de ano – Será que eu cumpri alguma?

Gente, faltam 66 dias pra 2016 acabar! Sabe o quanto é isso? São apenas 9 segundas-feiras. NOVE!!! Alô, alô, 2016! Onde você foi parar? Parece que foi ontem que voltei do Brasil empurrando minha malinha e sem ideia nenhuma do que seria do meu ano. Estava cheia de dúvidas, incertezas, e super insegura do que seria principalmente da minha vida profissional (se você acompanhou o Crise dos 30 e o

Você vive na terra do 'E se...'?

Hoje é dia 15 de outubro de 2016. Tenho 31 anos, 6 meses e 25 dias. Cheguei nos 30 já tendo realizado muito mais do que poderia imaginar aos 25, e muito menos do que achava que certamente já teria realizado quando eu tinha 15 (e me projetava como uma mulher de 30 independente, viajada, casada, com filhos, financeiramente resolvida e com uma carreira estabelecida). Ah, aquela pressão de chegar

236° DIA (QUE ERA PRA SER O 222°): O DESAFIO CHEGA AO FIM...

Não me pergunte o motivo de eu ter relutado tanto em escrever esse post. Minha consciência não saberia responder… Tá certo que desde que cheguei em Auckland, há exatos 16 dias, a correria foi insana e eu realmente não tive muito tempo ou cuca fresca pra escrever tudo o que eu queria, do jeito que eu queria. Acontece que, a essa altura do campeonato, eu não tenho mais coragem de

180° DIA: VOCÊ SABIA QUE EU SOU INSEGURA?

Já perdi as contas de quantas pessoas me disseram (ou ainda me dizem) frases do tipo: “Tudo o que você quer, você consegue” ou “Eu queria ter a mesma coragem e determinação que você” ou “Admiro sua autoconfiança e vontade de correr atrás dos seus sonhos, de fazer acontecer”. E eu não ouço isso apenas de amigos e família, não. De junho pra cá, tenho ouvido também dos leitores aqui

171° DIA: O MEU DIÁRIO DE FEEDBACKS

“Quando decidi concorrer a vaga para ter as sessões de coaching, tive aquele preconceito que muitos tem: será que dá certo mesmo? E hoje, depois de apenas três sessões, eu já vejo uma grande diferença e aos poucos venho descobrindo do que a SAMANTA realmente gosta e o que ela quer pra vida dela.” – Samanta Ribeiro Quando comecei a minha formação em coaching pela Worklife Solutions, lá na Nova Zelândia,

154° DIA: EU, CAROLINE, 30 ANOS - E CHEIA DE CABELOS BRANCOS...

Eu ainda lembro o dia em que encontrei meus primeiros fios de cabelo branco. Fios, no plural mesmo, porque comigo não teve muito aquela fase pra se adaptar: quando eles vieram, já trouxeram companhia. No começo (coisa de um ano atrás), a diversão do Henrique era deitar minha cabeça no colo dele, pegar uma pinça e ir tirando os fios brancos, um por um. A contagem que à princípio era