Família

236° DIA (QUE ERA PRA SER O 222°): O DESAFIO CHEGA AO FIM...

Não me pergunte o motivo de eu ter relutado tanto em escrever esse post. Minha consciência não saberia responder… Tá certo que desde que cheguei em Auckland, há exatos 16 dias, a correria foi insana e eu realmente não tive muito tempo ou cuca fresca pra escrever tudo o que eu queria, do jeito que eu queria. Acontece que, a essa altura do campeonato, eu não tenho mais coragem de

189° DIA: MEU NATAL MAIS FELIZ

Eu amo Natal! Nunca escondi isso de ninguém. Natal, pra mim, é a melhor data comemorativa do ano. Gosto mais que do meu aniversário,do dia dos namorados,de  festa junina e até de Ano Novo! As melhores lembranças que tenho da minha infância são do Natal. Amigo secreto, primaiada toda fazendo bagunça, comilança, sentar em volta da mesa por horas e só jogar conversa fora. Não tem nada de extraordinário, é

186° DIA: A DECISÃO QUE TOMEI E QUE MUDOU O RUMO DOS ÚLTIMOS DOIS MESES

Hoje uma das minhas coachees me perguntou: “Como é que você faz pra controlar a ansiedade da volta iminente pra Nova Zelândia? Se você não tem nem casa pra onde voltar, como é que você faz pra lidar com isso enquanto ainda está aqui?” Eu não precisei pensar pra responder. Essa é uma resposta que eu já precisei dar pra mim mesma meses atrás… Foi uma decisão consciente. Eu decidi,

170° DIA: VIAJAR TRABALHANDO - SERÁ QUE ROLA?

Aaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhh!! Não tô curtindo essa história de ficar escrevendo aqui pro Crise dos 30 dia sim, dia não… dia não, outro também não… Caracas! Tô relaxada! Desse jeito o Desafio dos 222 Dias vai acabar se tornando o Desafio dos 189 dias e meio… Mas olha, vou te dizer a verdade: tá meio complicado de me adaptar a essa nova rotina. A cada dia que passa eu tenho uma impressão

168° DIA: VIVENDO A EXPERIÊNCIA DE SER NÔMADE DIGITAL

Quem me acompanha aqui no Crise dos 30 há algum tempo já deve ter me ouvido dizer que essa vida de nômade digital não é exatamente o que eu quero pra mim. Não tenho esse sonho de colocar o computador embaixo do braço e sair por aí, pipocando de cidade em cidade, país em país, sem paradeiro nem residência fixa. Claro que essa é imagem mais generalista que a gente faz

156° DIA: TUDO PRA NÃO FICAR DOIS DIAS SEGUIDOS SEM ESCREVER

Gente do céu!!! Alguém já tomou Fenergan, um remédio pra alergia? Pelamor!!! O negócio me fez parar de espirrar e controlou na mesma hora uma crise alérgica que estava aos poucos se alastrando pelo meu corpo (tenho rinite das brabas, que até ontem à noite esteve surpreendentemente controlada nos últimos 3 ou 4 anos), mas também me fez capotar como fazia tempo que não acontecia: eu tô completamente grogue, não

152° DIA: COMO VALIDEI UMA SESSÃO DE COACHING EM UM DIA DE BABÁ

Se você leu o post que publiquei ontem, deve imaginar o quanto minhas últimas 36 horas foram corridas. Os últimos dias têm sido uma loucura não apenas pelas dezenas de formulários que recebi de pessoas de todo canto do Brasil interessadas em participar do processo de coaching que estou oferecendo, mas também pelo fato de eu ter participado de duas mentorias (de duas horas e meia cada), de ter atendido

121º DIA: SAUDADE DOS NOSSOS DOMINGOS

Domingo na minha família sempre foi um dia especial. Por muitos anos, foi um dia totalmente dedicado à igreja e às programações de lá. Acordava às 8 da manhã pra ir pra Escola Dominical que acabava por volta das 11:30, então ia pra feira comer um pastel pra conseguir aguentar até que o almoço saísse (sempre tarde) e às 19h já tinha culto na igreja novamente. Na maioria das vezes

120º DIA: A ALEGRIA DE VOLTAR PRA CASA

Chegueeeeeeeeeeeeiiiiii!!!! 36 horas depois de pousar em São Paulo, estou finalmente pegando o computador (o do meu pai, porque o adaptador de tomada pelo jeito só na segunda-feira) pra atualizar o Crise dos 30. A viagem foi cansativa, como não poderia deixar de ser, mas chegar no aeroporto e ser recepcionada pelos meus pais e minha afilhada, com um sorriso lindo e o abraço mais gostoso do mundo, faz sumir

87° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “SERÁ MESMO POSSÍVEL TER O ESTILO DE VIDA DOS MEUS SONHOS?”

Foi ao me dedicar ao coaching que descobri algo importante sobre mim mesma, algo no qual eu nunca tinha parado pra pensar: quais eram os meus valores. Hoje, me parece incrível que eu tenha vivido 30 anos sem nunca me fazer uma simples pergunta: AFINAL DE CONTAS, O QUE É QUE EU MAIS VALORIZO NA VIDA? O QUE É QUE EU DEFINITIVAMENTE NÃO PODERIA VIVER SEM? Existem várias ferramentas de