Realizar Sonhos

O que fazer pra se destacar e ser alguém bem acima da média? (APENAS UMA COISA!)

Hoje estou iniciando minha terceira semana de volta ao Brasil. Durante as primeiras duas, decidi não fazer nada. Passei a maior parte do tempo com minha família, curtindo a criançada, lendo, pesquisando coisas pelas quais me interesso ou estou começando a me interessar. De boa, na paz, sem pressa. Fiz isso na verdade seguindo o conselho do Henrique, porque eu sou uma pessoa que tenho muitos problemas (ainda) pra lidar

Sobre não se encaixar

Eu sempre fui muito conversadeira. Na adolescência tinha grupos de amigos com os quais tinha muito em comum, e passar horas batendo papo e jogando conversa fora nunca foi um problema: faltava tempo e sobrava assunto. Era uma época em que eu, sem dúvida, sentia que me encaixava. Eu pensava como as pessoas que me rodiavam, e as pessoas que me rodiavam pensavam como eu. Sei que estou longe de ser

Intercâmbio aos 30 – será que rola???

Sonhos de adolescência: Ser popular na escola; Namorar aquele menino super gato que parece nem olhar pra você ou notar que você existe; Ser a escolhida de um dos caras daquela boy band maravilhosa, que um dia vai pro Brasil, vai te conhecer, vai morrer de amores por você, te levar pros EUA, casar, ter muitos filhinhos e vocês serão felizes pra sempre; Ter o cabelo lindo e brilhoso igual

6 coisas que aprendi viajando por 6 continentes

Quem me conhece pelo menos um pouquinho, seja pessoalmente ou aqui mesmo pelo blog, sabe que uma das maiores prioridades que tenho na vida é siricutiar por aí. Seja com uma mochila nas costas ou com uma surrada mala de rodinhas, meu grande prazer é dar umas voltinhas mundo afora; tanto que, atualmente, quando me perguntam o que eu faço da vida, tenho começado a responder: “Eu trabalho pra juntar

Dicas de Los Angeles – No b****hit, só o essencial

Hoje estou “celebrando” meu terceiro dia de repouso forçado. Aparentemente foi uma infecção viral que me pegou de jeito, me deixando por mais de 24h seguidas com uma febre de 39°C que não baixava por nada, sofrendo pra tomar múltiplos banhos frios e só comendo o que o Henrique me trazia (não vejo a cozinha da minha casa desde quinta-feira…). Há mais de 48h que não saio do meu quarto.

236° DIA (QUE ERA PRA SER O 222°): O DESAFIO CHEGA AO FIM...

Não me pergunte o motivo de eu ter relutado tanto em escrever esse post. Minha consciência não saberia responder… Tá certo que desde que cheguei em Auckland, há exatos 16 dias, a correria foi insana e eu realmente não tive muito tempo ou cuca fresca pra escrever tudo o que eu queria, do jeito que eu queria. Acontece que, a essa altura do campeonato, eu não tenho mais coragem de

187° DIA: A DIFERENÇA ENTRE PESSOAS BEM SUCEDIDAS E MAL SUCEDIDAS

Essa é uma pergunta que há tempos paira sobre minha mente: Afinal, qual é a diferença entre as pessoas bem sucedidas e as pessoas mal sucedidas? Se duas pessoas têm ideias parecidas, recursos similares e – por que não? – o mesmo empenho e determinação em fazer seus sonhos e objetivos se tornarem realidade, o que é que faz com elas tenham resultados diferentes uma da outra, ou até mesmo opostos?

185° DIA: CAINDO DE NOVO NA ARMADILHA DE ODIAR AS SEGUNDAS-FEIRAS

Eu sei, eu sei… Fiquei o final de semana todo sem dar as caras por aqui. Sumir não era a intenção, mas passei os últimos dois dias me dedicando às crianças que vieram dormir em casa (elas dormiram, eu não! rsrs), aos almoços em família, aos encontros com os amigos. Depois de uma nova crise alérgica e do remedinho matador (aquele que me faz desmaiar por umas 12 horas seguidas),

136° DIA: E EU PERDI UMA BELA GRANA...

“Se, num passe de mágica, despertássemos vivendo o nosso sonho, seríamos imediatamente consumidos por ele. Temos de nos construir primeiro, fortalecer nossos “músculos” mentais e espirituais, antes de transformar nossos sonhos em realidade.” Esse é um trechinho do livro que ganhei semana passada e estou lendo, chamado O Poder da Coragem. Pra ser bem sincera, não tô curtindo muito a leitura, não… Livros que trazem dizeres como “o sucesso será a

123° DIA: QUAL A FOTOGRAFIA DA SUA VIDA?

Ontem, durante a retomada da minha rotina de estudos, ouvi do Gerônimo Theml uma metáfora que achei bastante interessante. “Quando montamos um quebra-cabeça, geralmente começamos com as pecinhas das pontas, montando a moldura, porque dessa forma fica mais fácil de completar o restante. No entanto, se quisermos ter sucesso com esse quebra-cabeça, o ideal é que tenhamos do nosso lado a fotografia da imagem que estamos tentando montar. Sabendo exatamente