Reflexões

6 Anos de Vida na Nova Zelândia: o que está errado

Essa semana fez 6 anos desde que vim morar aqui. Seis anos de vida na Nova Zelândia! Caraca, nem dá pra acreditar… Às vezes parece que faz mais, às vezes parece que foi ontem… Fiquei meio nostálgica e comecei, lá na página do Crise dos 30 no Facebook, uma série de postagens para relembrar todo esse tempo que tenho vivido aqui: uma foto por dia, por seis semanas, em homenagem

Sobre a necessidade - ou não – de se encaixar

Depois que publiquei o post sobre não se encaixar, recebi alguns comentários via Facebook, mensagens privadas e e-mail, de pessoas me dizendo o quanto gostaram do texto, que compartilham da mesma opinião ou que vivem algo parecido. E muita gente dizendo tudo isso, mas também questionando a real necessidade de se encaixar, dizendo que não devemos nos encaixar em nada, que temos é que cada vez mais buscar sermos nós

Eu, Caroline S., 31 anos, cansada e desiludida (e sem saber o que fazer da vida)

Nem adianta falar que não lembra… Tudo bem que o livro (na versão em português) e o filme são do início dos anos 80, mas se você era uma criança meio precoce – como eu – certamente se lembra do “Eu, Christiane F., drogada e prostituída” e entendeu meu trocadilho… Se não entendeu, tudo bem, vamos pular essa parte… A real é que resolvi escrever esse post rapidinho, só pra

Você vive na terra do 'E se...'?

Hoje é dia 15 de outubro de 2016. Tenho 31 anos, 6 meses e 25 dias. Cheguei nos 30 já tendo realizado muito mais do que poderia imaginar aos 25, e muito menos do que achava que certamente já teria realizado quando eu tinha 15 (e me projetava como uma mulher de 30 independente, viajada, casada, com filhos, financeiramente resolvida e com uma carreira estabelecida). Ah, aquela pressão de chegar

236° DIA (QUE ERA PRA SER O 222°): O DESAFIO CHEGA AO FIM...

Não me pergunte o motivo de eu ter relutado tanto em escrever esse post. Minha consciência não saberia responder… Tá certo que desde que cheguei em Auckland, há exatos 16 dias, a correria foi insana e eu realmente não tive muito tempo ou cuca fresca pra escrever tudo o que eu queria, do jeito que eu queria. Acontece que, a essa altura do campeonato, eu não tenho mais coragem de

211° DIA: PRA QUEM SE ACHA VELHO DEMAIS PRA MUDAR DE PROFISSÃO

Meu Deus, como está difícil manter meu compromisso de escrever todos os dias nessa reta final! Faltam apenas 11 dias para o 222° dia do desafio e juro que hoje, por um momento, eu pensei que poderia mesmo encerrar por aqui. Esses últimos dias no Brasil têm sido uma baita correria e sábado e domingo (que é o dia da partida) serão ainda pior. Como vou arrumar tempo pra aparecer

209° DIA: ESSES FILMES PRA CRIANÇA QUE NÃO SÃO NADA INFANTIS...

Hoje tive um dia super especial! Dia que as crianças levaram os adultos da família pra passear, num programa super sessão da tarde, daqueles que eu simplesmente amo! O dia de embarcar de volta pra Nova Zelândia tá chegando e acho que isso me faz valorizar ainda mais cada singelo momento que tenho com meus pequenos, com meus pais, com meus tios. Não quero mesmo mais nada da vida por agora,

190° DIA: MINHA LISTA DE GRATIDÃO 2015

Dois dias atrás eu te sugeri que fizesse uma lista com ao menos 20 coisas pelas quais você pode agradecer em 2015, lembra? E aí, já fez? Hahaha brincadeirinha… Ser pressionado até pela blogueira que você acompanha, aí já é demais, né? Só sei que seria muita hipocrisia se eu sugerisse algo que eu mesma não fizesse, então vim aqui te dizer que eu tenho a minha lista da gratidão feitinha,

187° DIA: A DIFERENÇA ENTRE PESSOAS BEM SUCEDIDAS E MAL SUCEDIDAS

Essa é uma pergunta que há tempos paira sobre minha mente: Afinal, qual é a diferença entre as pessoas bem sucedidas e as pessoas mal sucedidas? Se duas pessoas têm ideias parecidas, recursos similares e – por que não? – o mesmo empenho e determinação em fazer seus sonhos e objetivos se tornarem realidade, o que é que faz com elas tenham resultados diferentes uma da outra, ou até mesmo opostos?

179° DIA: COMO VIVER APAIXONADAMENTE

Como você pode perceber (ou não) são dez pra meia-noite e eu ainda não publiquei o texto do Crise dos 30 de hoje. Tô aqui na frente do meu computador, recém finalizei minha última sessão de coaching do dia, e estou aqui fazendo todo o trabalho pós-sessão (que me toma praticamente o mesmo tempo de uma sessão inteira) sentadinha na minha cama, com o laptop no colo. Sendo assim, não vou