Relatos de Uma Inquieta

43° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA - "QUANDO NADA MAIS FAZ SENTIDO"

“Eu havia participado ativamente de cada instante da criação daquela vida – então, por que sentia que nada daquilo combinava comigo?” – Liz Gilbert em Comer, Rezar, Amar Não é que eu tinha mudado. Prefiro dizer que eu comecei a voltar a mim alguns meses depois do casamento. Eu tinha o sonho de conhecer o mundo, de aprender idiomas, de morar fora por um tempo, de fazer um intercâmbio mais

41° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “TRAUMAS DA LINHA VERMELHA DO METRÔ”

Era julho de 2008 quando eu recusei a promoção para Coordenadora de Reservas da rede de hotéis, pedi demissão do meu emprego e comecei o que eu achei que seria uma nova e bela história na tal operadora de turismo oficial da Disney no Brasil. Eu estava empolgada com a oportunidade, principalmente porque sabia que iria não apenas poder usar todo o conhecimento que eu tinha sobre aquele destino turístico

39° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA - "O PRIMEIRO GRANDE CLIQUE"

A época do meu casamento coincidiu (sei lá se acredito mesmo em coincidências, mas na falta de um termo melhor, vou usar esse mesmo) com uma das minhas tantas crises profissionais. Três anos e meio antes eu já tinha aberto mão de uma proposta de efetivação seguida de uma promoção quando deixei pra trás meu cargo de estagiária na CVC e fui fazer o intercâmbio na Disney. Agora, estava novamente

37° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “VIDA QUE SEGUE…”

Foram duas ligações. A primeira não consegui atender pois fiquei em estado de choque olhando o celular, totalmente sem reação. Da segunda vez, respirei fundo, tentando não entregar o nervosismo através da minha voz, e atendi. Ele não falou nada. E desligou na minha cara. Como não poderia deixar de ser, aquilo tudo me deixou muito ansiosa e muito confusa. “O que será que ele queria comigo?” Quando cheguei em

35° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA - "O PRIMEIRO CHIFRE A GENTE NUNCA ESQUECE"

Eu sempre fiz o tipo adolescente certinha. Aluna nota A, tomei meu primeiro porre depois de “velha” (aos 23 anos) e tentei experimentar cigarro pela primeira vez mais ou menos na mesma época. Um trago foi o suficiente pra nunca mais tentar. Lembro da minha amiga dizendo: “Ai, meu, que nojo! Você babou no meu cigarro!”  Uma vez, estava indo pra escola e, quando cheguei lá, era um daqueles dias

25° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA - "O INÍCIO"

Eu sou uma pessoa normal. Tão normal quanto você. Passei 26 dos meus 30 anos de vida em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, onde vivi toda minha infância e adolescência e fiz algumas das minhas maiores amizades: amizades essas que resistem, até hoje, ao tempo e à distância. Até onde me lembro, eu fui uma criança tranquila, nunca fui de dar muito trabalho pros meus

21° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA - PREFÁCIO

“Formada em Turismo pela Universidade Metodista de São Paulo aos 21 anos, casou-se aos 23, se separou aos 25, se mudou pra Nova Zelândia aos 26, conseguiu um emprego na sua aérea de atuação aos 27, virou gerente 3 meses depois e pediu demissão no auge da carreira. Nesse momento está em sua casa, em Auckland, olhando o quintal do vizinho pela janela e tentando descobrir o que fazer da vida…” Foi assim que eu

20° DIA: NOVIDADE NO CRISE DOS 30

Se você acompanha o Crise dos 30 desde seu nascimento (ele já tem 22 dias de vida! ) sabe que ele surgiu meio de supetão!  Sem muito planejamento e sem ideia do que ele seria exatamente, ele nasceu como uma tentativa de mostrar a realidade de quem decidiu chutar o balde e buscar a tão sonhada mudança de vida! Ele não conta as aventuras de quem largou tudo pra viajar