Temporada no Brasil

182° MAIS UM MÊS E EU VOU EMBORA

Daqui 30 dias, a essa hora, eu estarei me despedindo das pessoas que mais amo. Estarei carregando as malas no carro e indo em direção ao aeroporto. Se fosse numa situação normal, eu teria acabado de chegar e 30 dias seria tudo o que eu teria pra ficar aqui. Sim, eu sei disso. Ainda assim, três meses me pareceu um tempo curto demais… Ainda falta um mês, mas já sinto um

178° DIA: UM OUTRO OLHAR SOBRE NOMADISMO DIGITAL

Cheguei do Rio Grande do Sul hoje, depois de 10 dias visitando a família do meu namorado. (Plim plim aqui, porque, ao que tudo indica, já recebemos um upgrade geral: depois do pastor da igreja onde nasci e fui criada ter usado o termo “seu marido” de cima do púlpito para se referir ao Henrique, ele mesmo já começou a me apresentar pras pessoas como “minha esposa”… rsrs) Tirando alguns

173° DIA: ALGUMA COISA REALMENTE TÁ MUDANDO...

Sabe aquele dia em que tudo, absolutamente tudo, dá errado? Você tem mil coisas pra fazer e depende de computador e internet, aí a luz acaba. Você tem cliente pra atender, e tem que desmarcar por causa disso. Aí a luz volta. Você remarca. Aí você senta pra escrever esse post, a luz começa a piscar de novo, te dando indícios de que ainda existem chances de você ser forçada

170° DIA: VIAJAR TRABALHANDO - SERÁ QUE ROLA?

Aaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhh!! Não tô curtindo essa história de ficar escrevendo aqui pro Crise dos 30 dia sim, dia não… dia não, outro também não… Caracas! Tô relaxada! Desse jeito o Desafio dos 222 Dias vai acabar se tornando o Desafio dos 189 dias e meio… Mas olha, vou te dizer a verdade: tá meio complicado de me adaptar a essa nova rotina. A cada dia que passa eu tenho uma impressão

168° DIA: VIVENDO A EXPERIÊNCIA DE SER NÔMADE DIGITAL

Quem me acompanha aqui no Crise dos 30 há algum tempo já deve ter me ouvido dizer que essa vida de nômade digital não é exatamente o que eu quero pra mim. Não tenho esse sonho de colocar o computador embaixo do braço e sair por aí, pipocando de cidade em cidade, país em país, sem paradeiro nem residência fixa. Claro que essa é imagem mais generalista que a gente faz

163° DIA: PEQUENAS DECISÕES TAMBÉM PODEM SER ESTRESSANTES

Como vocês podem perceber, fiquei dois dias sem escrever. Eu já sabia que isso iria cedo ou tarde acontecer, principalmente agora que resolvi, de certa forma, abraçar o mundo: eu estou, literalmente, com a agenda lotada – tanto profissionalmente quanto pessoalmente. O Henrique está aqui em São Paulo pra passar dez dias, todos os meus amigos e familiares querem vê-lo, então temos programações manhã, tarde e noite. Tive uma semana

160° DIA: OSTRA FELIZ NÃO FAZ PÉROLA

Hoje foi dia de levar o gaúcho para se aventurar pelas linhas de metrô de São Paulo! Percorremos a maratona do transporte público, saindo de São Bernardo com destino à Av. Faria Lima (quem é dessas bandas sabe bem do que eu tô falando…). Entre tróleibus e metrôs e quatro baldeações depois, chegamos ao nosso destino: o belíssimo Instituto Tomie Ohtake, para conferirmos a exposição da Frida Kahlo. O Henrique

159° DIA: SERÁ QUE EU CHEGO NO FINAL DOS 222 DIAS?

Caracas, tá cada vez ficando mais difícil cumprir esse Desafio dos 222 Dias… Hoje é o 159° dia, já passou da meia-noite e eu acabei de chegar em casa. Daqui pra frente, vai ficar ainda mais complicado… O Henrique chegou hoje em São Paulo, veio lá da casa dos pais dele em Dom Pedrito, no Rio Grande do Sul, mas se espirrar tá no Uruguai. Quando falei pra ele nossa

156° DIA: TUDO PRA NÃO FICAR DOIS DIAS SEGUIDOS SEM ESCREVER

Gente do céu!!! Alguém já tomou Fenergan, um remédio pra alergia? Pelamor!!! O negócio me fez parar de espirrar e controlou na mesma hora uma crise alérgica que estava aos poucos se alastrando pelo meu corpo (tenho rinite das brabas, que até ontem à noite esteve surpreendentemente controlada nos últimos 3 ou 4 anos), mas também me fez capotar como fazia tempo que não acontecia: eu tô completamente grogue, não

154° DIA: EU, CAROLINE, 30 ANOS - E CHEIA DE CABELOS BRANCOS...

Eu ainda lembro o dia em que encontrei meus primeiros fios de cabelo branco. Fios, no plural mesmo, porque comigo não teve muito aquela fase pra se adaptar: quando eles vieram, já trouxeram companhia. No começo (coisa de um ano atrás), a diversão do Henrique era deitar minha cabeça no colo dele, pegar uma pinça e ir tirando os fios brancos, um por um. A contagem que à princípio era