Vida na Nova Zelândia

6 Anos de Vida na Nova Zelândia: o que está errado

Essa semana fez 6 anos desde que vim morar aqui. Seis anos de vida na Nova Zelândia! Caraca, nem dá pra acreditar… Às vezes parece que faz mais, às vezes parece que foi ontem… Fiquei meio nostálgica e comecei, lá na página do Crise dos 30 no Facebook, uma série de postagens para relembrar todo esse tempo que tenho vivido aqui: uma foto por dia, por seis semanas, em homenagem

Dois anos depois... E a vida? Como tá?

Sinto raiva. Sinto raiva porque estou há mais de uma semana tentando escrever um texto interessante que conte o que aconteceu na minha vida nesses últimos dois anos desde que coloquei o Crise dos 30 no ar, e não consigo. Já escrevi dois textos diferentes, e odiei os dois. Mexi e remexi nas ideias, nos parágrafos, na pontuação, e nada! Nada funciona. Fico frustrada porque sei que a culpa é

Verão Nova Zelândia Cathedral Cove

Após mais de quatro anos vivendo em Auckland, na Nova Zelândia, posso dizer, sem a menor sombra de dúvidas, que o verão é a melhor época do ano para se estar aqui! Que o país é absolutamente maravilhoso, com belezas naturais de cair o queixo e com paisagens que vão desde lagos coloridos até picos nevados, todo mundo já sabe. Mas quando se fala em Nova Zelândia, a primeira imagem

236° DIA (QUE ERA PRA SER O 222°): O DESAFIO CHEGA AO FIM...

Não me pergunte o motivo de eu ter relutado tanto em escrever esse post. Minha consciência não saberia responder… Tá certo que desde que cheguei em Auckland, há exatos 16 dias, a correria foi insana e eu realmente não tive muito tempo ou cuca fresca pra escrever tudo o que eu queria, do jeito que eu queria. Acontece que, a essa altura do campeonato, eu não tenho mais coragem de

105° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “COACHING DÁ DINHEIRO FÁCIL?”

Eu comecei a fazer o meu curso de Fundamentos de Coaching online e simplesmente amei! A cada módulo que eu completava eu me sentia mais e mais conectada com a filosofia e metodologia do coaching, e aquele sentimento de “eu sempre fui coach, mas não sabia” foi se tornando cada vez mais forte em mim. Como em qualquer caso de transição – ou mesmo de primeira escolha – de carreira,

88° DIA: COMEMORANDO SEIS MESES DE RESIDÊNCIA NA NOVA ZELÂNDIA

Hoje eu comemoro seis meses desde que meu visto de residência na Nova Zelândia foi aprovado! Qualquer pessoa que esteja vivendo num país que não é o seu, ou que já tenha tido essa experiência por um longo período, entende exatamente o que ter esse visto significa. Pra quem nunca passou por isso, vou resumir em uma palavra: LIBERDADE. Ter um visto de residência colado no passaporte significa que, a

84° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “E CADÊ A CORAGEM DE LARGAR O EMPREGO?"

A família foi embora e as semanas que se seguiram foram das mais angustiantes possíveis. Durante a estadia deles aqui eu coloquei o programa de coaching em stand by, pois não tinha condição nenhuma de me dedicar a isso em meio a uma programação intensa de final de ano – programação essa da qual tenho muito orgulho, inclusive! Graças aos meus conhecimentos sobre os destinos turísticos do país e a

75° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “LARGAR TUDO OU NÃO LARGAR, EIS A QUESTÃO”

Quando me veio à cabeça a ideia de jogar tudo pro alto (mais uma vez!) e fazer um mochilão, eu tinha certeza que essa era não apenas a melhor, mas a única solução para todos os meus problemas. Comecei a pesquisar freneticamente histórias de quem já havia feito o mesmo, devorei blogs e mais blogs escritos por viajantes que contam detalhes de gastos, acomodação e itinerários, e criei dezenas de

74° DIA: RELATOS DE UMA INQUIETA – “SERÁ QUE O PROBLEMA SOU EU?”

O processo de identificar que eu tinha trazido a “minha São Paulo” pro outro lado do mundo não foi assim tão simples. Eu estava completamente esgotada emocionalmente e o trabalho estava consumindo tudo, absolutamente tudo o que eu tinha para oferecer. Para os amigos, pro namorado, pra família, sobrava apenas o resto, só o farelo da Carolzinha. “O que é que tem de errado com o mundo?” – Eu me

73° DIA: A ESTRADA

O cenário completo Enquanto caminhava, numa manhã gelada, olhei por cima do morro que eu subia. Abaixo de mim, estendia-se um amplo vale com um rio. Do outro lado do vale, uma muralha de nuvens baixas obscurecia os campos; mas elevando-se acima das nuvens estavam os distantes picos das montanhas, arroxeados e vívidos, recortando-se contra o céu pálido. Às vezes, a vida é como o vale onde tudo está claramente